quarta-feira, março 01, 2017

Resenha: Pax

. .


Sinopse: Peter e sua raposa são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas.
Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, Pax expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, de explorar sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos.
"Eu não escolhi isso. Não fui eu que quis essa guerra. Não fui eu que fiz meu pai se alistar. Não escolhi ir embora de casa, não escolhi ir morar com o meu avô. E é claro que não escolhi abandonar o bichinho que ficou cinco anos comigo." (pág. 126)
Opinião: Pax é uma história simples e emocionante. Peter é um garoto em fase de amadurecimento, que precisa aprender a lidar com acessos de raiva herdados do pai e a separação precoce de seu melhor amigo, a raposa Pax. Ao mesmo tempo, Pax foi um animal criado desde pequeno em uma casa, e de repente se vê no meio da floresta precisando aprender a sobreviver. O livro é narrado em terceira pessoa alternando capítulos em que acompanhamos Peter e outros onde acompanhamos Pax, e apesar de soar estranho ler um livro com o ponto de vista de uma raposa, isso gera um simbolismo e inocência em algumas cenas que só seria possível vindo da perspectiva de um animal ou de uma criança bem pequena.

O livro tem como tema principal a amizade. Além da forte ligação entre Pax e Peter, ambos fazem novos amigos durante esta jornada e aprendem muito sobre preconceitos e diferentes modos de ver a vida. Vola é uma mulher que Peter conhece em seu caminho e que precisa aprender a lidar com as decisões do seu passado, e Pax conhece Arrepiada, uma raposa que tem um grande preconceito e medo de humanos. A história também traz a tona questões como a guerra e a raiva, estas mais focadas em situações que envolvem o pai de Peter. Em alguns momentos a história lembra um pouco O pequeno príncipe, por sua sutileza e forma de passar as mensagens.
"Peter se lembrou de Vola perguntando de que lado o seu pai estava lutando.
'Do lado certo', respondera ele (...)
'Garoto! Você acha que alguém na história do mundo foi lutar pelo lado errado?'" (pág. 263)
O final é, de certa forma, esperado mas nem por isso menos emocionante. É daqueles livros que a gente lê e sai com a alma tranquila e feliz. A edição ficou linda, com capa dura e algumas ilustrações em preto e branco. Apesar de voltado para o público infantil, sem dúvida é recomendável para todas as idades.
5/5 - Adorei!
Mais informações:
Pax
Título original: Pax
Autora: Sara Pennypacker
Editora: Intrínseca (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 288
Links: Skoob | Goodreads 

0 comentários:

Postar um comentário