sábado, julho 16, 2016

Resenha: A idade dos milagres

. .


Sinopse: E se os dias ficassem cada vez mais longos - primeiro em questão de minutos, depois horas, até que o dia virasse noite e a noite virasse dia? É isso que acontece no arrebatador livro de estreia de Karen Thompson Walker, um romance sobre crescer e seguir com a vida em uma época extraordinária e incerta. Em um sábado aparentemente comum, na Califórnia, Júlia e sua família acordam e descobrem, com o resto do mundo, que a velocidade de rotação da Terra está diminuindo. Os dias e as noites vão ficando mais longos, fazendo com que a gravidade seja afetada e o meio ambiente entre em colapso. Pássaros desorientados caem mortos do céu, centenas de baleias encalham na praia, as marés saem de controle. Enquanto alguns entram em pânico, outros procuram viver como se nada estivesse acontecendo, agarrando-se a qualquer custo à sua rotina e ignorando a evidência de que o fim do mundo se aproxima. Ao mesmo tempo que luta para se adaptar à nova "normalidade", Júlia tem que lidar com os problemas típicos da adolescência e os desastres do cotidiano: a crise no casamento de seus pais, a perda de antigos amigos, as amarguras do primeiro amor e o estranho comportamento de seu avô, que acredita que tudo se trata de uma conspiração do governo e passa os dias catalogando suas posses obsessivamente. 

A idade dos milagres é o livro de estreia da autora Karen Thompson Walker. 

A história é contada do ponto de vista de Julia, nossa personagem principal. Ela narra suas memórias de quando tinha onze, doze anos, época em que começou o que foi chamado de desaceleração da Terra. Os dias começaram a se tornar mais longos, tendo períodos de sol e de escuridão cada vez maiores, sem que as pessoas conseguissem entender realmente o porquê.

O livro tem uma história e um enredo maravilhosos e, para mim, inéditos. Porém a forma lenta como a autora passou a narrativa, o excesso de detalhes e a repetição de uma série de frases e pensamentos transformaram uma história que poderia facilmente se encaixar em uma das melhores que havia lido para algo um tanto cansativo
"Talvez tivesse começado antes da desaceleração, mas só depois fui me dar conta: minhas amizades estavam se desintegrando. Tudo estava desmoronando. Foi uma jornada difícil aquela, da infância para uma próxima vida. E, como em qualquer outra dura jornada, nem tudo sobreviveu." (pág. 74)
O desenvolvimento da autora sobre a desaceleração da Terra e suas consequências físicas e psicológicas nas pessoas foi excelente. Não sei o quanto disso poderia ser verdade, mas o caminho dos personagens e ações tomadas me convenceu de que seria algo bem possível caso um fato destes realmente acontecesse. Inclusive, o motivo causador do evento nunca é conhecido porém não faz falta.

Contudo, o livro peca em passar toda essa informação apenas através da visão de uma menina que inicia suas memórias no final do ensino fundamental. E por muitas vezes ela narra as mesmas coisas: os efeitos do tempo, a situação das pessoas, a reclamação de como sobreviver. Quanto mais a desaceleração prossegue, mais parece que o livro vai desacelerando junto na história. São poucos os fatos realmente importantes que ocorrem em relação ao mundo. Na maior parte do tempo acompanhamos o crescimento de Julia e sua passagem para a adolescência sendo marcada por um mundo com o futuro completamente indefinido, porém com os problemas comuns da idade, como a paixão por um menino com o qual mal fala, ou o fato de passar a ser esnobada por uma amiga de infância.  

Entendo que a autora quisesse passar essa comparação de uma vida "normal" sendo afetada por uma mudança destas e o quanto isso realmente impacta ou não em situações cotidianas de uma criança. Porém me deixou um tanto chateada que uma história com esse maravilhoso pano de fundo e infinitas possibilidades de construções ficasse apenas em algo tão simples.
"Uma coisa que me impressiona, quando me lembro desse período, é como nos adaptamos rapidamente. O que tinha sido familiar algum dia tornava-se cada vez menos. E, com o tempo, pareceu-nos extraordinário que antes nosso sol funcionasse tão previsivelmente quanto um relógio." (pág. 82)
É um livro que recomendo pela sua estrutura, pela história que é passada. No geral gostei do livro, e acredito que tenha ficado mais indignada pela falta de aproveitamento do potencial e dinamismo que a narrativa poderia ter. Quem gosta de histórias mais detalhistas, introspectivas (sem esquecer que é um livro jovem) e com um bom pano de fundo pode acabar achando um livro muito bom.
3/5 - Bom
Mais informações:
A idade dos milagres
Título original: The age of miracles
Autora: Karen Thompson Walker
Editora: Paralela (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 216
Links: Skoob | Goodreads

0 comentários:

Postar um comentário