terça-feira, dezembro 08, 2015

Eu sou otimista, mas...

. .


Fonte
Eu sou uma pessoa otimista. Otimista, razoavelmente tranquila e normalmente bem de boa. Não gosto de gente ranzinza perto de mim (alguém gosta?) e acordo feliz. Pode me perguntar, sempre respondo que está tudo bem. Tenho uma casa, um trabalho que me permite fazer o que eu gosto, uma família boa, amigos e colegas legais por vários lados. Mas as vezes eu canso.

Eu canso quando volto de uma viagem onde andava tranquilamente pelas ruas para o meu prédio que tem grade, cerca eletrônica, câmeras e portaria 24 horas. Eu canso porque parece exagero, mas então lembro que já teve um infeliz momento no qual se aproveitaram da vulnerabilidade da minha casa anterior para entrar nela. Também lembro dos assaltos que acontecem ao menos uma vez por mês na região, que está muito longe de ser das piores na cidade. E de todos os itens a mais de segurança que querem colocar no prédio.

Eu canso quando chego em casa no inverno e tenho vontade de sair na rua mas não dá porque tá escuro. E sair no escuro é perigoso. Mas sair de dia e em um lugar movimentado também não é a melhor opção, porque também é perigoso. Não sei exatamente em qual horário é seguro sair.

Eu canso porque lembro que voltava para casa numa boa sozinha e agora tenho medo, mesmo que nada tenha me acontecido. Ainda. É sempre "ainda". Vejo os vídeos, as notícias e as reportagens. Não tem mais hora nem lugar, e não tem como se defender. Uma arma? Não seria uma solução. Não pra mim.

Eu canso porque o conhecido de um conhecido morreu em um assalto não faz um mês. E hoje morreu outro. E nem vi notícia sobre isso ainda. Quantos mais morreram hoje vítimas da violência e eu não sei? E se o próximo conhecido não for apenas um "conhecido"?

Eu canso porque já pensei até em entrar para a política. Mas nenhum partido me convence, nenhuma ideologia. Canso só de pensar em todas as pessoas "políticas" com quem conviver, todas as mentiras, jogos e tramoias que não tenho senso malicioso o suficiente para discernir. Canso só de lembrar o quanto fizeram com que a política fosse uma coisa ruim, para que ninguém do bem quisesse passar perto.

Amanhã tenho que sair de casa de novo. Queria caminhar pela rua tranquila, poder ir de bicicleta para o trabalho se quiser, ou pegar um bom transporte público como alternativa. Queria mesmo deixar o meu carro em casa. Ou talvez trocar por um modelo melhor, mas daí ele não vai ser mais visado? Talvez seja melhor deixar ele com o painel sem arrumar a saída de ar que caiu, assim ele parece que já foi roubado e talvez ninguém queira.

Eu quero ter um filho um dia. E queria poder deixar ele ir na padaria com seis anos e umas moedas na mão como eu fazia nessa mesma cidade, para que ele se sinta adulto. Queria deixar ele na pracinha e poder ficar tranquila conversando com amigos que fizer por lá, como minha vó fazia comigo. Eu juro, era nessa mesma cidade. Longe do ideal, mas muito mais segura.

Queria poder pegar a minha casa e transportar para um país onde esses meus desejos são possíveis. A minha, a dos meus amigos, da minha família. Na verdade, da minha casa física até abro mão, mas sei que minhas raízes ficam. E eu não sobrevivo sem minhas raízes. Então permaneço. 

Eu sou otimista. Sei que vou acordar amanhã com a cabeça um pouco menos impressionável por todos esses problemas. Vou levantar, tomar o meu café e sentir que estou, de alguma forma inimaginável, segura e que nada vai me ocorrer. Vou brincar, rir e esquecer. Até o próximo acontecimento. 

Eu sou otimista, mas está cada vez mais difícil.

7 comentários:

  1. Oi Tami, tem que ser otimista né?! E sim tenho alguns medos assim como você como no caso de filhos, que vão crescer em talvez, situações piores. Ter esperança é o que resta!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Tami, em meio a tantas violência e o medo incessante, o mínimo que podemos fazer é sermos otimistas e pensar que um dia possamos fazer aquilo que fazíamos quando criança; passear no parque, brincar na rua sem medo de sermos vítimas de algo que seria uma tragédia.
    Um post que merece aplausos.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tami. Em nossa atual sociedade tudo está se tornando perigoso, vemos até casos de amigos há décadas praticando a violência entre os mesmos, coisas bem raras comparando há antigamente. É preciso o máximo de cuidado e segurança em nosso mundo, quase uma redoma, para nossa proteção. Todo cuidado é pouco. "...mas está cada vez mais difícil."
    Blog: Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Tami!
    É meu sentimento também...
    Está cada dia mais difícil podermos sair na rua.
    Antigamente fazia caminhada aqui por perto de casa, agora está impossível, assaltos diariamente; temos de ir de carro para praia, porque o movimento é maior e corremos menos riscos.
    Fiquei chocada essa semana. Tem um senhor que vende verduras e frutas de porta em porta e nós gostamos de comprar porque é tudo novinho, ele planta no quintal de casa. Pois ele nos contou que por 3 vezes 2 motoqueiros o abordam na rua e dizem: Já era, para a grana vovô! Vê se pode? Um senhor idoso, trabalhador e ainda é roubado por uns vagabundos que querem dinheiro fácil para droga.
    Onde vamos para?
    Sou otimista também, porém ando me tornando medrosa, meu otimismo é apenas dentro de casa onde me sinto segura...por enquanto...
    “Sentir é criar. Sentir é pensar sem ideias, e por isso sentir é compreender, visto que o Universo não tem ideias.” (Fernando Pessoa)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. Tami, vc acordou inspirada neste dia!!!!!!!
    Conforme ia lendo, passava um filme em minha mente do antes e depois de minha vida no geral, as mdanças bruscas que hoje se tornaram algo para "desprezar". Nossa sociedade esta evoluindo cada vez mais para o abismo e nos ficamos parados como se estivéssemos presos, isso realmente é muito frustrante, mas tenho ´FÈ que pelo menos 0,01% mude e dai podemos caminhar para um caminho mais "limpo" e seguro.
    Apoio esse texto completamente; tenho saudades da liberdade antiga.

    BJsss

    ResponderExcluir
  6. Muito bom seu texto, como você sou otimista, mas em algumas circunstâncias temos que ter precaução em decorrência de todos os acontecimentos que tem no dia a dia.

    ResponderExcluir
  7. Concordo, eu tbm sou assim, sou super otimista, acredito que vc pensando sempre positivo atrai coisas positivas, mas realmente cansa mesmo cada ponto que citou, as vezes saimos pra divertir e somos roubados, está cada vez mais dificil continuar com esse otimismo, mas simbora ...rsrs

    ResponderExcluir