sexta-feira, novembro 06, 2015

Resenha: Diário de uma garota normal

. .


Minnie é uma garota de quinze anos. Certa noite o namorado de sua mãe, Monroe, se insinua para a menina. Após algumas investidas mais, eles decidem transar e ela perde a virgindade com ele. Com os hormônios a mil, Minnie quer continuar transando com ele sempre que possível - e quando ele não está disponível arranja outros garotos, mesmo que seja apenas para esse objetivo. Apaixonada por Monroe, mas sem entender se ele é capaz de retribuir o seu amor ou se apenas está tirando vantagem dela, Minnie começa cada vez mais a se envolver com pessoas e coisas que aos poucos vão destruindo sua vida.
"Não me lembro de ter nascido. Eu era uma criança muito feia. Minha aparência não melhorou, então suponho que foi um golpe de sorte quando ele se sentiu atraído pela minha juventude." (pág. 13, primeiras linhas)
É difícil falar desse livro. Ele sinceramente trata de uma realidade que deve ser a de muitas meninas, mas que graças a Deus passa longe de ser parecida com qualquer coisa que tenha vivenciado, ainda mais aos quinze anos. O que lemos aqui, pela visão do diário de Minnie, é nada menos que um caso de abuso. Porém como tudo é contado por ela, que nem sempre vê a situação dessa forma, o leitor chega a pensar que não está tudo tão ruim - já que essa relação é algo que ela quer - até que a garota começa a se afundar em problemas e demonstra uma depressão terrível. Então vemos que ela é apenas isso: uma menina.

É um assunto tão delicado, e que anda sendo tão discutido recentemente, que esse livro veio a calhar no momento. Uma garota de quinze anos é uma garota de quinze anos, mesmo que ela pareça ter mais idade ou tenha atitudes que a façam ficar mais vulnerável. É uma fase de amadurecimento e casos como o da protagonista, em que os dois exemplos de adulto que ela tinha em casa não enxergavam o real problema, deve confundir muito a cabeça de qualquer um. Contudo sei que muitos poderiam sair da leitura acreditando que a garota tem a maior culpa na história. É a vida...
Capa original / capa nacional
Achei a diagramação bem interessante, mescla o diário de Minnie com imagens das situações do dia-a-dia e quadrinhos que contam alguns pedaços da história também - tudo como se fossem desenhos da própria garota. Não encontrei problemas graves, mas em um dos quadrinhos as falas em inglês ficaram por baixo das traduzidas. A capa tem o título em relevo e as orelhas do livro são gigantes! São praticamente do tamanho da capa mesmo. É uma edição bem caprichada nos detalhes. 

Ressalto que o livro é um tanto explicito, tanto nos textos, como nos desenhos e nas situações apresentadas. Várias imagens mostram peitos, bundas, uso de drogas e outras situações que - sinceramente - ao ler em público dá vontade de dar uma escondida na página para que a pessoa do lado não a veja (sim, aconteceu comigo). A forma como Minnie descreve algumas situações é bem descarado, beirando o vulgar. Sei que a intenção da autora era mostrar exatamente como a garota pensava, e o texto condiz com a sua personalidade, mas considero um bocado forte para um livro que (achei que) seria para um público da idade da protagonista.
"Uma parte de mim sabe que ele é um bundão, um babaca, e que eu estaria melhor se ele morresse. Mas outra parte de mim não acredita nisso e tem certeza de que ainda vamos todos viver felizes para sempre, de um modo ou de outro..." (pág. 236)
Apesar disso não posso negar que marquei várias passagens, em especial aquelas em que a garota começava a se questionar ou questionar a atitude das pessoas que estavam em sua volta. Quando ela começa a demonstrar o vazio e a depressão que sente, é impossível não querer protegê-la apesar de todos os erros que ela segue cometendo - e cada vez piores! 

Phoebe nos apresenta uma protagonista que por fora parece super decidida com suas atitudes, mas que internamente vemos que não passa de uma menina sendo iludida e se apaixonando por pessoas que claramente não se importam com ela. É uma personagem que demonstra toda a confusão que uma adolescente pode ter dentro de sua cabeça, com a explosão de hormônios e a necessidade de se autoafirmar. É o tipo de livro que achamos melhor após concluir a leitura e refletir um pouco do que durante a leitura, visto que ele não possui nenhum grande suspense ou situação nos instigue a chegar ao final. Apenas vamos acompanhando o dia-a-dia da vida de Minnie e torcendo para que ela consiga sair do buraco que está se enfiando.
4/5 - Muito bom!
PS: O livro deu origem ao filme "The diary of a teenage girl", que teve sua estréia nos Estados Unidos em agosto deste ano.

Você pode gostar se gostou de: O apanhador no campo de centeio (ainda não li, mas é a dica que vem na capa do livro!)
Mais informações:
Diário de uma garota normal
Título original: The diary of a teenage girl
Autora: Phoebe Gloeckner
Editora: Faro Editorial (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 321
Links: Skoob | Goodreads

8 comentários:

  1. Tami!
    Gosto quando os livros são escritos em forma de diário.
    Bom poder saber que o livro trata abertamente sobre abusos sexuais, mesmo que a protagonista ceite de alguma forma.
    Gostaria de ler para poder ver como o assunto foi abordado.
    “Para quê preocuparmo-nos com a morte? A vida tem tantos problemas que temos de resolver primeiro.”(Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  2. Eu li "O apanhador no campo de centeio" e até que curti. Vou anotar essa dica para ler quando puder.

    Beijos,
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Tamires
    Caramba, quem diria!
    A capa parece ter tudo a ver como livro!
    Também gosto de ler livros que envolve diários, pois ficamos por dentro de toda a Historia *U*
    eu gostei bastante da premissa desse livro, vou acrescentar na minha lista que esta enorme!
    gostei bastante dos temas abordados, acho bacana sempre fala sobre isso!
    pra conscientizar as pessoas, a pensar e presta mais atenção nos filhos.
    adorei resenha.
    Beijinhos
    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Tami!
    Realmente o livro não é para a faixa etária da autora... Que complicado, né. Mas me interessei pelo livro, ainda mais por ser no formato de diário, curto esse tipo de leitura.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito de livros em formato de diário, fico sabendo mais sobre o que o personagem está sentindo e pensando. Mas o assunto tratado não me interessou muito.

    ResponderExcluir
  6. Achei o livro bem interessante, pois acho que retrata muito a realidade de algumas garotas. Gosto de livros que sejam tipo um diário e com certeza vou gostar!

    ResponderExcluir
  7. Tema bem interessante do livro, infelizmente não é só nos livros né, nao lembro de ter lido um livro assim em forma de diário, já li Simplesmente acontece que é escrito todo em forma de E-mails, mensagens de texto e achei que nao ia gostar tanto, mas adorei o livro e acredito que vou gostar desse tbm *-*

    ResponderExcluir
  8. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, curto essa narrativa em forma de diário e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir