quarta-feira, julho 22, 2015

Resenha: Eu estive aqui

. .


Cody e Meg eram amigas inseparáveis, até que Meg consegue uma bolsa em uma faculdade em Seattle e Cody fica na cidadezinha onde as duas nasceram. Um dia Cody recebe a notícia: sua melhor amiga se matou. E de uma forma muito bem planejada. Tentando entender porque a amiga que tinha uma vida aparentemente perfeita fez isso, Cody começa a investigar algumas pontas soltas na história e conhece os amigos de Meg da faculdade, incluindo Ben McCallister, um músico com quem Meg havia tido um caso pouco antes de morrer. A medida em que as coisas vão ficando mais complicadas do que pareciam inicialmente, Cody precisa entender até que ponto consegue se redimir da culpa que sente, por notar que sabe muito pouco sobre sua amiga e por não ter conseguido perceber que ela precisava de ajuda.
"Um dia depois de Meg morrer, eu recebi esta mensagem:
Sinto informar que precisei dar fim à minha própria vida. Estou adiando esta decisão há muito tempo, e ela é minha e de mais ninguém. Sei que isso lhe causará sofrimento, e lamento que seja assim, mas saiba que eu precisava acabar com a minha dor. Não tem nada a ver com você, mas tudo a ver comigo. Não é culpa sua.
Meg" (primeiras linhas, pág. 7)
Tratando de um tema extremamente forte, o suicídio, Gayle Forman cria uma narrativa relativamente simples. Primeiro livro que leio da autora, a história mostra a visão de quem ficou, a culpa que as pessoas conhecidas ficam ao descobrir que alguém próximo se matou, e como precisam se livrar deste sentimento para seguir em frente. 

Eu gosto de clichês, quando são bem escritos. Mas algo que tem me incomodado cada vez mais nos romances jovens é o fato da personagem principal (quase) sempre precisar ter um envolvimento com algum cara que não deveria. Neste caso, Cody e Ben acabam se envolvendo, e fico o tempo todo tentando imaginar em qual cenário uma verdadeira amiga iria se apaixonar justamente pelo cara que ela está acusando de ser o principal motivo do suicídio. Aliás, mal entendo como ela consegue sequer ficar perto dele. Ah, deve ser porque ele é bonitão, dorme com várias garotas, tem um passado não muito bom, essas coisas. Em resumo, foi um romance que achei desnecessário e que não me convenceu. No melhor dos casos, e no desenrolar da história, acho que poderiam ter no máximo permanecido amigos.
Capa brasileira / capa original
O grande foco do livro é a busca de Cody por respostas, e somos brindados com um certo suspense em suas descobertas. Gostei do desdobramento em geral, apesar de ter achado um pouco forçado o fato de sempre ter um nerd que consegue resolver todos os problemas em relação aos dados perdidos do computador e fazer rastreamentos, mas vou relevar pelo bem da história. 

Falando em computação, um ponto muito importante trazido pela autora é como a internet ajuda a influenciar pessoas que estão emocionalmente fracas, por ser de tão fácil acesso a todos. Longe de demonizar o seu uso, mas é de conhecimento geral que a internet é uma grande facilitadora para tudo, e é muito fácil encontrar apoio de qualquer desconhecido em um momento de fragilidade - o que pode ser muito bom ou muito ruim. 
"Meu Deus, como eu sinto falta de Meg. Mas sinto muita raiva dela também. Se não consigo perdoá-la, como conseguirei perdoar a mim mesma?" (pág. 216)
No geral gostei bastante do livro. É uma leitura fácil, que prende, e que trata de um tema forte. Apenas gostaria de ter visto o assunto ser tratado com um pouco mais de profundidade, e menos no formato de leitura jovem. Ao fim encontramos uma nota da autora com informações muito interessantes sobre suas pesquisas e como a história do livro surgiu. Recomendo a leitura, em especial para quem quer saber um pouco mais sobre o assunto mas não quer nada muito pesado.
3,5/5 - Entre Bom e Muito bom
Mais informações:
Eu estive aqui
Título original: I was here
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 240
Links: Skoob | Goodreads

3 comentários:

  1. Eu já tinha lido resenhas desse livro e ler essa só fez reforçar a minha vontade de conhecer a história. Ainda não li nada dessa autora também, mas depois de assistir Se eu ficar, quero conhecer o livro. Esse também está na minha lista :)

    ResponderExcluir
  2. Eu li "Se eu ficar" da autora, mas esse foi meu único contato. Pelo que posso perceber, ela é bem trágica no que escreve, né? Coma, morte... Haha.
    Bom, eu estava achando a história interessante, até dizer sobre esse romance. Ainda não li o livro, mas até eu achei forçado. Tem coisas que os autores escrevem que só faz sentido pra eles, né?

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da proposta da obra, o drama deve ser envolvente e tocante, é muito bom fazer leituras de livros assim. Só vejo comentários bons sobre esses livros. Ainda não tive oportunidade de ler, mas quando possível, lerei. ;D
    Abçs Tami!

    ResponderExcluir