quarta-feira, junho 03, 2015

Resenha: Agência de investigações holísticas Dirk Gently

. .


Richard é um engenheiro de computação que está trabalhando em um projeto crítico para Gordon Way, um chefe que o cobra muito. Cobra inclusive através de sua irmã Susan, com quem Richard está saindo. Após deixar uma mensagem na secretária eletrônica de Susan, Richard se arrepende e faz o que qualquer um faria: escala o prédio da namorada para entrar no seu apartamento e apagar a mensagem. Nessa mesma noite, Gordon é encontrado morto, Richard aparece como suspeito e um velho conhecido acaba aparecendo novamente na vida dele: Dirk Gently, um ex-colega de faculdade. Com sua agência de investigações, Dirk vai ajudar Richard a resolver esse mistério e, de quebra, salvar a humanidade da extinção.
"Dessa vez, não haveria testemunhas.
Dessa vez, era apenas a terra morta, o estrondo de um trovão e o começo daquela garoa incessante que parece acompanhar tantos dos acontecimentos mais solenes do mundo." (primeiras linhas, pág. 5)
É difícil escrever sobre um livro do Douglas Adams porque são tantas histórias, tanta loucura e tantas coisas entrelaçadas por motivos absurdos que a gente praticamente se perde. E é justamente por isso que os livros do autor fazem tanto sucesso. Este livro foi escrito em 1987, logo após o término da série O guia do mochileiro das galáxias e enquanto o autor escrevia episódios para o Doctor Who.

Até praticamente a página 100 vemos uma série de eventos desconectados acontecendo com diferentes personagens em diferentes locais. Conhecemos até mesmo um Monge Eletrônico com um égua em um local que parece um deserto. Então é bem natural que a gente fique perdido no meio da leitura, tentando achar uma conexão. A minha dica é: deixe a leitura fluir que, aos poucos, os itens absurdos vão se conectando.

Dirk é um personagem interessante, que nos deixa até o fim do livro com a dúvida se é um cara com realmente algum dom a mais ou apenas mais um grande charlatão. Talvez um pouco dos dois. Os outros personagens não tem um perfil muito marcante na história, apesar de suas participações serem igualmente importantes.
Capa brasileira / capa original
Um pouco injusta a comparação de capas visto que a original é de 1987, e naquela época a capa poderia ser linda. A edição brasileira ficou com uma capa legal, que combina com os outros livros do autor, tem a diagramação simples e não encontrei erros. Porém o mais legal de tudo foi o marcador enviado junto com o kit do livro, o gatinho que vocês podem ver na primeira foto do post. Muito bonitinho, e ele tem o encaixe para prender a página na barriga do gatinho.
"Ele acreditava em um portal. Precisava encontrá-lo. O portal era o caminho para... para...
O Portal era O Caminho.
Ótimo.
Letras maiúsculas são sempre a melhor maneira de lidar com as coisas para as quais você não tem uma boa resposta." (pág. 36)
Gostei bastante do livro mas não me contive de ler novamente algumas partes iniciais após a conclusão porque são muitos detalhes difíceis de lembrar. Para quem gosta do autor, é uma baita notícia a publicação de um livro após tantos anos - a gente meio que perde a esperança né?. Tem todos os elementos que o fizeram um sucesso: as tiradas irônicas, os personagens que parecem loucos, os perdidos e uma série de eventos totalmente inimagináveis. Já teve adaptação para a TV através do canal BBC, com quatro episódio de uma hora. No final do ano passado foi anunciado o início de uma nova adaptação, por Max Landis e Dave Alpert.

Você pode gostar se também gostou de: Pequenos Deuses
4/5 - Muito bom!
Mais informações:
Agência de investigações holísticas Dirk Gently
Título original: Dirk Gently's holistic detective agency
Autor: Douglas Adams
Editora: Arqueiro (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 240
Links: Skoob | Goodreads
Série: Dirk Gently
#1. Agência de investigações holísticas Dirk Gently
#2. The long dark tea-time of the soul (ainda não lançado no Brasil)
#3. O salmão da dúvida (contém 10 capítulos do que seria o terceiro livro da série e outros textos do autor)

9 comentários:

  1. Oie Tami!!
    Eu não me interessei muito por esse livro não, meus amigos me recomendam O Guia do Mochileiro das Galaxias, mas não me vejo lendo essa série como vocês mesma disse, o autor gostar de usar temas desconexos e isso tira muito meu interesse pelo livro, a capa brasileira realmente ficou muito boa.

    Xo
    Alisson
    Re.View

    ResponderExcluir
  2. As doidices do Douglas Adams me animam e me desanimam, eu adorei O Guia do Mochileiro das Galáxias, mas já tinha abandonado por ser algo meio complicado de se ler, as tiradas cômicas são incríveis, mas essas confusões em livros me deixam perdida. Um dia lerei esse livro de nome enorme, mas já vou sabendo o que esperar dele, pois a temática é legal.

    ResponderExcluir
  3. Oii Tami, tudo bem? Desde que vi esse livro em post de lançamentos, mesmo não me interessando muito pela história, gostei da sinopse: porque é super normal uma pessoa escalar o prédio da namorada para apagar uma mensagem telefônica... rsrs.

    Não curto muito ficção científica e nunca tive muita vontade de ler "O Guia dos Mochileiros das Galáxias", de modo que também não tenho vontade de ler esse. E com certeza eu ficaria super perdida, e não importa que as coisas vão ser explicadas ao longo da história e os absurdos serão desvendados, não consigo fazer uma leitura e me sentir perdida no meio dela.

    Achei a capa da editora Arqueiro lindinha e combina com os outros livros do autor realmente, mas a capa original é também muito bonita. E adorei o marcador de gatinho!!

    Parece ser um livro cheio de tiradas geniais e um humor inteligente, mas realmente não faz muito meu estilo. Parabéns pela resenha!!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  4. Eu não li o Guia do Mochileiro das galáxias. Todo mundo fala da série mas eu ainda não me empolguei pra ler justamente porque dizem ser louca demais (tentei ver o primeiro filme e fiquei vendo navios rs) mas talvez esse livro fosse boa pedida, parece mais curto e tem mistério e investigação que é algo que adoro...

    ResponderExcluir
  5. Bem, eu nunca li nada deste autor (vergonha :/)
    Eu gosto de livros assim, que tem que descobrir quem matou o fulano...
    Achei engraçado quando li que Richard escalou o prédio para entrar na casa da "namorada" para a apagar e isso qualquer um faria, hehehe. Como assim?

    Os detalhes difíceis de lembrar me desanimaram um pouco... não gosto de voltar para entender as coisas.
    Mas no geral, eu curti.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. O livro me pareceu ser interessante, mas você se decepcionou.... Tenho um certo receio em ler autores que são muito "falados", como o próprio Adams. Consequentemente, nunca li nada dele... Espero mudar isso! haha
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Tami, acredita que até hoje nunca tive vontade de ler a série O guia dos mochileiros da Galaxia ? Então, quando vi a capa desse livro, e li a sinopse fiquei bem curiosa .. Não sabia que era o mesmo autor, mas depois de algumas resenhas já sei que necessito desse livro, rs.
    Já dá pra perceber que o leitor fica mesmo um pouco perdido, mas acho que isso é o divertido da leitura! Adorei a resenha :D
    Bj :*

    Blog Passeando com os livros


    ResponderExcluir
  8. Oi, Tami!
    Eu adoro esse autor, sabe? Acho-o incrível, justamente por ter essa habilidade que você descreveu: trazer vários elementos para uma história que parecem desconectados para, então, amarrá-los com maestria depois. Eu acho que acabarei fazendo como você quando chegar ao final do livro (rs)… Correrei para as primeiras páginas em busca dos detalhes que perdi e que eram, aos olhos do autor, fundamentais.
    Concordo com você sobre as capas. Não dá nem para comparar. Achei linda a capa atual, numa versão mais modernizada, como a história parece ser – apesar de ter sido escrita há tanto tempo.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Douglas Adams acabou ficando imensamente conhecido pela sua série Guia do mochileiro das galáxias, que eu ainda não li. O que mais me chama atenção nas obras do autor é justamente essa mistura inusitada de elementos que muitas vezes não possuem uma relação explícita entre si, mas acho que esse também pode ser um fator de confusão na hora da leitura. Ainda assim me sinto bastante tentada a me arriscar nesse livro, a capa dele é tão linda! kkkk

    ResponderExcluir