quinta-feira, março 26, 2015

Resenha: Dois garotos se beijando

. .


Tariq foi espancado na rua por ser gay. Peter e Neil são um casal que já está há algum tempo junto e já passou da fase da novidade. Avery é transexual e acaba de conhecer Ryan. Cooper passa as noites no computador criando perfis falsos para seduzir homens. Harry e Craig são dois jovens que já foram namorados e hoje são amigos que decidiram entrar no livro dos recordes com o beijo mais longo já registrado, para mostrar para todos que não tem nada de errado em dois garotos se beijando.
"Vocês não têm como saber como é para nós agora; sempre estarão um passo atrás.
Agradeçam por isso.
Vocês não tem como saber como era para nós antes; sempre estarão um passo à frente.
Agradeçam por isso também.
Acreditem em nós: existe um equilíbrio quase perfeito entre o passado e o futuro. Enquanto nos tornamos o passado distante, vocês se tornam um futuro que poucos de nós poderiam ter imaginado." (primeiras linhas, pág. 7)
O título e capa infelizmente ainda devem impactar muitas pessoas - e o fato de o livro ser "diferente" apenas por trazer a história de dois garotos se beijando ao invés de um casal heterossexual (como ocorre em todos os outros) mostra o quanto ainda estamos longe de uma igualdade neste sentido.

Temos muitas situações retratadas, desde aquele garoto que possui o apoio da família, o que precisa se esconder, o que a família finge que sabe mas nunca toca no assunto, aquele que parece que não quer assumir nem para si mesmo, o que sofre agressões por ser do jeito que é. Todas as histórias são narradas por gays que já passaram por este mundo e nos contam tudo por visões vindas de fora das histórias. Os narradores parecem um tipo de deus no livro, pois ao mesmo tempo que nos contam os casos também conversam com o leitor.

Creio que o mais importante do livro seja conseguir trazer essa visão "de dentro". Vemos como aqueles garotos passam por coisas que sequer imaginamos, seus medos e descobertas. Ficamos com pena de como eles precisam esconder o que sentem, de como precisam fingir ser o que não são. Incluído a isso temos as narrações os incentivando a ir em frente, torcendo pela felicidade dos personagens e chorando com seus problemas. É impossível ficar alheio a tudo isso.
Capa brasileira / capa original
Gosto muito da capa brasileira, deu um ar mais interessante para o livro e essa imagem formada por palavras e frases ficou simplesmente o máximo. A diagramação é simples, o livro não possui divisão de capítulos. Não encontrei erros de português porém na edição que recebi tem umas duas ou três páginas com um problema de impressão que "subiu" as letras de algumas frases, não sei se aconteceu com mais tiragens. 
"Assim que você para de falar sobre indivíduos e começa a falar sobre um grupo, seu julgamento tem uma falha. Cometemos esse erro com frequência." (pág. 144)
Outra coisa muito legal da história é o fato de o narrador comparar a vida mais fácil destes meninos com a que eles tiveram antigamente. Mesmo com todas as dificuldades de hoje, vemos como o mundo conseguiu avançar no assunto. Ainda estamos longe do ideal, mas muito melhores do que alguns poucos anos atrás. Para resumir, é o tipo que livro que eu simplesmente adoro: uma história que mexe comigo, ensina algo e no final fica cheio de post-its marcando as frases favoritas.
Mais informações:
Dois garotos se beijando
Título original: Two boys kissing
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 224
Links: Skoob | Goodreads

3 comentários:

  1. Oi, Tami! Amo os livros do David! *-* E esse livro dele parece chamar a atenção para esse problema da discriminação e falta de respeito com os homossexuais. E com o passar do tempo, ao invés de melhorar, parece que só piora, na minha opinião, pois muitas vezes pessoas são vistas como homossexuais por estar abraçando o pai! Como já aconteceu em um caso (e outros que nem tomamos conhecimento). É um ódio fora do comum. E acho muito legal o David escrever esses livros, pois a literatura tem o poder de mudar as pessoas. Bom, essa capa gerou bastante polêmica né. Mas só acho engraçado que quando saem umas capas de uns livros, principalmente com temática hot ou erótica, nada comportadas, por ser um homem e uma mulher, não tem problema, né. Sei lá, acho que isso é meio que hipocrisia. Claro que o que é diferente, choca. Não vou dizer que não foi um impacto pra mim ver a capa, principalmente a original, mas sei lá, não vejo nada de mais, sabe? Respeito a opção dessas pessoas e o mais importante é que haja amor. Quando ao livro, nem preciso dizer que quero muito ler! :)

    ResponderExcluir
  2. estou mega curiosa para ler este livro, e até agora estou bem feliz vendo a aceitação que o livro está recebendo, apesar de ser uma coisa que nem todos aceitam né
    acho que ele é, na verdade, um belo tapa na cara para quem pensa que isso não é certo e tudo o mais. a trama parece ser ótima, e pelo o que eu conheço do autor, aposto que ele abordou tudo isso de uma forma maravilhosa! preciso ler logo ;~~

    ResponderExcluir
  3. Do Levithan eu li o Todo Dia e me apaixonei pela escrita, muito leve, divertida. Esse livro deve ser mais denso devido a se tratar de um assunto ainda considerado tabu. Essa capa é linda e não duvido que as histórias contidas também. Quero ler :)

    ResponderExcluir