quarta-feira, janeiro 28, 2015

Resenha: Par perfeito

. .


Par perfeito é aquele tipo de livro onde vamos conhecendo uma série de personagens e suas histórias se entrelaçam. Nosso principal ponto de ligação é Alice, uma garota que trabalha na agência Par Perfeito como "casamenteira". Ela trabalha por amor e sua maior realização é quando consegue formar um casal. Seu estilo casual e sua bicicleta velha incomodam Audrey, sua chefe irritante mas aparentemente bem casada. Kate é uma garota que tem 33 anos e está na contagem regressiva para encontrar alguém (perfeito, romântico, lindo, cavalheiro...) e se tornar mãe, mesmo que sua amiga Lou zombe disso. Kate contrata Alice para tentar encontrar o seu par, e espera que a garota consiga resolver o seu "problema".
"- Cadê os homens? - sussurrou Kate, segurando seu suco de laranja e olhando em volta com nervosismo. Tentava não deixar a decepção transparecer em seu rosto.
- No bar, com os seres humanos normais - bufou Lou, alto." (pág. 7, primeiras linhas)
Cada capítulo é contado em terceira pessoa pelo ponto de vista de um personagem, e temos alguns outros além dos que foram ditos na sinopse. Mesmo assim é fácil assimilar quem é quem e quais suas ligações, pois todos tem personalidades bem definidas e diferentes. Alice é a personagem principal pois é o elo de ligação entre as histórias e temos uma boa visão de sua vida. É uma personagem bem romântica e idealista, que busca o par perfeito de todos mas ainda não conseguiu encontrar o seu. Não tem uma personalidade marcante mas é uma personagem que é difícil não gostar.

O livro tem algumas cenas de sexo e palavrões, em especial nas partes de Lou que é uma mulher que adora um encontro sem compromisso. No geral é um chick-lit com todos os ingredientes necessários: uma mulher com problemas com a idade, um cara bonitão, com romance e cenas engraçadas. Por isso mesmo não é difícil saber como algumas coisas irão terminar, e muitas caem no clichê básico. Porém isso não me decepcionou, a leitura foi bem agradável e divertida.
Capa brasileira / capa original
A edição ficou bem bonitinha e cada capítulo inicia com o nome do personagem e um desenho que o representa (a de Alice é uma bicicleta). Gosto muito das duas capas, da brasileira e da original, e ambas fazem bastante sentido com a história.

A autora busca mostrar, ainda que de forma leve, como cada um tenta encontrar o amor e nossos erros, nossos mascaramentos em relação ao assunto. Todas as personagens sofrem de uma forma ou outra com a pressão externa de "precisar" de um acompanhante ou um relacionamento sério, e o livro mostra o quanto isso gera de insegurança em algumas mulheres, que buscam diversas formas de mascarar este "problema" que enfrentam.
"... ela não tinha apenas 33 anos; tinha 33 anos, cinco meses e uma semana. Droga, tinha quase 33 e meio. As coisas estavam ficando sérias; 35 estava a apenas 569 dias. Se ela perdesse um momento mais, ficaria sem tempo; os salões de festa poderiam estar todos reservados; ela poderia ter de se casar no cartório; dois filhos poderiam se transformar em um, ou talvez nenhum. Precisava que Alice fizesse sua mágica, e depressa." (pág. 142)
É um livro bem leve e divertido, quem gosta de chick-lit certamente vai gostar. Apesar de simples, ele não chega a cair no erro de alguns livros do estilo que são muito rasos. Eu sou fã assumida do gênero, então adorei!
4/5 - Muito bom!
Mais informações:
Par perfeito
Título original: Alice Brown's lessons in the curious art of dating
Autora: Eleanor Prescott
Editora: Valentina (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 352
Links: Skoob | Goodreads 

4 comentários:

  1. eu adoro este gênero de livro, e confesso que a capa dele, principalmente, foi o que me deixou curiosa pela trama logo de cara.
    parece ser uma trama bem divertida mesmo. esse negocio de achar o par perfeito ai para mim é só em livros mesmo hehe

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei essa capa super divertida *u* E me parece uma história divertida também, fiquei curiosa. Eu gosto bastante dessas histórias com narradores que tem algo em comum, acho tão ~dinâmico~ (acho que não é bem essa palavra, mas enfim).
      Eu não sou tão fã do gênero, mas, quando eu tiver oportunidade pra ler esse livro, eu vou ler :)

      Excluir
  3. Parece ser uma historia gostosinha de se ler sem duvida, nao conheço a autora e infelizmente nao tive a oportunidade de ler nenhum livro dela. Prefiro a capa original.

    ResponderExcluir