domingo, dezembro 22, 2013

Resenha: Livrai-nos do mal

. .


"O homem de 96 anos estava sentado em sua confortável poltrona apreciando um livro sobre Joseph Stalin. Nenhuma grande editora quis chegar perto do manuscrito repleto de devaneios, pois ele era completamente parcial, elogiando o sádico líder soviético. Porém, a opinião positiva sobre Stalin, apresentada naquele livro autopublicado, agradava muito ao velho." (primeiras linhas, pág. 7)
Este é o segundo livro do personagem Shaw (o primeiro, já resenhado aqui, é Toda a verdade). Não tem problema se você não leu o primeiro, as histórias são como as do James Bond - praticamente só o personagem principal é o mesmo, e pouquíssimas coisas são mencionadas sobre o outro livro.

Neste livro Shaw vai atrás de Evan Waller, um traficante de mulheres que neste momento inicia um novo negócio que pode trazer consequências mundiais. O problema é que ele acaba encontrando com Reggie Campion, que está atrás do mesmo homem mas por motivos diferentes. Reggie faz parte de uma agência não regulamentada que está atrás de Evan devido ao seu passado. Ele foi Fedir Kuchin, um genocida que conseguiu fugir da Ucrânia. 

Ambos começam a se investigar para saber quais as intenções de cada um. Quase igualmente talentosos, vão precisar de muita sorte e agilidade para conseguirem cumprir suas missões.

Este é o terceiro livro de Baldacci que leio. Não me decepcionou, mas achei os outros dois melhores. Neste o autor tem o ritmo um pouco mais lento do que o normal (que é frenético) e o relacionamento entre Shaw e Reggie ganha um bom destaque. Gostei do livro, contudo essa parte meio romanceada não se encaixou tão bem na história como aconteceu em Toda a verdade. Além disso, acabou indo tanto para esse lado de romance que me decepcionou um pouco, e foi algo completamente dispensável.
"Vi genocídios na África, na Ásia e no Leste Europeu que estão além da imaginação. O mal não tem fronteiras geográficas. Quem pensa de outra maneira é um idiota." (pág. 35)
O tema abordado aqui são os genocidas do mundo que conseguiram fugir (muitos para a América do Sul inclusive). Por trás da história fica a pergunta: até quanto os nossos atos podem ser relevados se forem por um bem maior? Será que Reggie e seus companheiros podem ser considerados inocentes já que matam por uma boa causa? É uma questão bem abordada no livro/seriado Dexter também, e bem polêmica. 

Baldacci tem uma escrita leve e de fácil acompanhamento. A narrativa se intercala entre os personagens, nos ajudando a conhecer um pouco mais as motivações de cada um. A edição da Arqueiro está simples como sempre. Demorei um bom tempo para me dar conta de que a capa era um tambor de revólver, notaram? Mesmo assim acho as capas bem melhores do que as originais, que parecem ter parado nos anos 80 ou 90. Vi um ou outro errinho de digitação, mas nada que atrapalhe.

Se tiver oportunidade, leia. Porém, se tiver oportunidade de escolher, comece por Traição em família. Dos três, foi o que mais gostei e o que tem a história com mais ação e reviravoltas. Continuo adorando o Baldacci e ainda o considero um dos melhores autores neste estilo, por isso mesmo esperava um pouco mais. Repito: não é um livro ruim, mas sei que ele pode bem mais.

Entre "Bom" e "Muito bom"
Mais informações:
Livrai-nos do mal (Shaw #2)
Título original: Deliver us from evil
Autor: David Baldacci
Editora: Arqueiro (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 320
Links: Skoob | Goodreads
Série: Shaw
#2. Livrai-nos do mal

8 comentários:

  1. Olá Tami!! esse livro deve ser muito bom, ainda não li nada do autor, mas que bom que tem como lê-lo separamente!! essa capa é muito bonita e interessante também, e é claro o título é bem chamativo! Achei super bacana a mensagem que o livro passa, sobre matar outra pessoa pelo bem de outros, isso é correto?!!!
    Gostei muito!!! Ótima resenha!!

    Beijos!!

    meudiariojk.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, ainda não li livros desse autor,mas fiquei interessada. Parabéns à autora.

    http://socomentando93.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Oi Tami!
    Nao li ainda nenhum livro do David Baldacci, mas tenho muita vontade. A tua resenha nao me passou muita vontade, porém adorei do mesmo jeito, quando eu arranjar um jeitinho vou ler algum livro dele.

    Beijos da Lua!
    www.tyciahadiresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, confesso que não sou grande fã do gênero e não conheço esse autor, mas a capa é bem atrativa, para quem gosta desse gênero. Adoro narrativa que intercala pontos de vista de diversos personagens, acho que propicia um melhor entendimento, sem falar que o livro fica mais gostoso de se ler, né.

    ResponderExcluir
  5. Oie!

    Ainda não conheço a escrita do autor, mas fiquei curiosa, =D

    ResponderExcluir
  6. Ótima resenha. Conhecia o autor mas nunca li nada dele.
    Mas depois dessa resenha fiquei curioso ;)

    ResponderExcluir
  7. Oie!
    Tenho livros desse autor para ler mas ainda não consegui fazer isto.
    E a temática do livro não me animou para fazer uma leitura.
    Beijos e até,
    Ana.
    http://umlivroenadamais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. nossa, acredita que essa é a primeira resenha que vejo do livro? faz tempo que ele lançou né?
    não imaginava que fosse tão bom assim :O
    nunca li nada do autor, mas fiquei curiosa pela história.
    os outros livros dele também são neste estilo??

    ResponderExcluir