quinta-feira, julho 11, 2013

Resenha: O guardião do tempo

. .


O guardião do tempo
Título original: The time keeper
Autor: Mitch Albom
Editora: Arqueiro
Páginas: 240
Link no Skoob: 
Uma história com um formato bem diferente do que estava esperando. O livro inicia contando três histórias completamente distintas, mas que sabemos que irão se entrelaçar. Esperava um livro mais puxado para a fantasia porém este foca mais no lado humano de cada personagem. Deveria ter previsto isso quando vi o autor.
 
A história de Dhor começa há uma eternidade atrás, quando era apenas um garoto. No seu tempo, ninguém tinha relógio ou marcava o tempo. Isso ainda não havia sido inventado. Ele começou a contar (com um relógio de água) o tempo que levava entre o desaparecimento do sol e o seu nascer. E percebeu que de um dia para o outro esse tempo era o mesmo. Com isso começou a contar os dias. Depois as horas. E nunca parou de contar o tempo.
"Um homem senta-se sozinho numa caverna.
Seu cabelo é comprido. A barba desce até os joelhos. Ele apoia o queixo nas mãos em concha.
Fecha os olhos.
Ele está ouvindo algo. Vozes. Vozes incessantes. Que sobem de uma poça no canto da caverna.
São as vozes das pessoas da Terra.
Elas só querem uma coisa.
Tempo." (primeiras linhas, pág. 8)
Victor é um senhor muito rico. Após perder o pai e a mãe cometer suicídio, ele decidiu se focar apenas no trabalho e com isso construiu um grande império. Acabou casando e teve tempos muito felizes com sua mulher, mas agora o casamento está frio. Ele descobre que tem câncer e vai tentar o impossível para conseguir mais tempo de vida.

Sarah é uma menina que sempre foi considerada feia. Ela sofre com os seus colegas por causa de apelidos e nunca teve um menino que olhasse para ela. Tudo muda quando o garoto mais gato do colégio marca um encontro com ela, porém acaba se decepcionando e tudo o que mais quer é acabar com esse momento.

Como castigo por ter começado a contar o tempo, Dhor é banido para uma caverna e deve ficar lá até entender as consequências do que fez. Ele não envelhece, e fica o tempo todo ouvindo os lamentos de pessoas na Terra de um poço. Todas pedindo mais (ou menos) tempo para a sua vida. 

O início do livro é lento. Vamos conhecendo aos poucos as histórias destes três personagens e o motivo deles estarem tão ansiosos em relação ao tempo. Como cada pedaço de capítulo se refere a um, a história acaba ficando um pouco quebrada e acho que isso dificultou a fluidez do texto. Não me senti conectada com a história ou com seus personagens tão cedo.

Porém, contrariando completamente as minhas expectativas (e não sei explicar o motivo), as últimas cem páginas passaram voando! Talvez por ter introduzido bem os personagens, ou por finalmente as histórias estarem começando a se interligar, parece que o livro começou a fluir muito bem. Gostei bastante a partir daí e quase me fez esquecer o início meio sem graça.

A história acaba nos puxando um pouco para reflexão devido ao seu tema, mas não me deu a sensação de estar lendo um livro de autoajuda. Tem algumas passagens muito boas (como a que encerra essa resenha, que simplesmente não consegui diminuir). Acho que se fosse uma história mais linear seria um livro mais interessante. Talvez então a mesma ideia de história, porém com um autor diferente funcionasse melhor. 

Enfim, é um livro bom e interessante mas estava esperando mais.
"Tente imaginar a vida sem a contagem do tempo.
É provável que você não consiga. Você sabe o mês, o ano, o dia da semana. Há um relógio na sua parede ou no painel do seu carro. Você tem uma agenda, uma folhinha, um horário para jantar ou assistir a um filme.
À sua volta, porém, a contagem do tempo é ignorada. Os pássaros não se atrasam. O cão não consulta o relógio. Os cervos não se inquietam com aniversários.
Só o ser humano mede o tempo.
Só o ser humano repica o som das horas.
E por isso só o ser humano sofre de um medo paralisante que nenhuma outra criatura suporta.
O medo de que o tempo se esgote." (pág. 13)
Regular

8 comentários:

  1. Eu adoro histórias que envolvem o tempo e também gosto de histórias cruzadas. Mesmo que o início seja lento, por estes elementos, e pelos bons personagens que surgem durante a trama, tenho a leve impressão de que vou gostar do livro. Lógico que não lerei esperando uma obra prima! rs
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Detesto quando o livro tem um enredo que tem tudo pra ser bom e acabo me decepcionando, sempre fico imaginando também o mesmo livro com outro autor. Amo livros com histórias que acabam se entrelaçando. O fato de você achar o começo cansativo no começo me desmotivou um pouco, mas mesmo assim ainda fiquei interessada em ler.

    ResponderExcluir
  3. Ahh, pensei que ele seria melhor :( fiquei desanimado agr, mas msm assim quero ler e tirar minhas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
  4. Eu não tenho nenhuma expectativa com esse livro, por isso acho q vou gostar da leitura. Das três histórias a do Dhor, foi a q mais me interessou...

    ResponderExcluir
  5. Puxa, a leitura não agradou mesmo hem!
    Até já li outra resenha do mesmo e foi bem positiva...

    ResponderExcluir
  6. Esse livro é bem interessante, gostaria de conferir. Tem uma trama que parece agradar e já tinha gostado só de sinopse., seria legal ler.

    ResponderExcluir
  7. Oiee
    o livro nao me deixou muito curiosa nao..
    Achei a resenha interessante, mas nao faz muito meu estilo..
    mas acho q pra qm gosta, deve valer a pena né..

    bjjinhoos
    Pam
    Meus Livros PReciosos

    ResponderExcluir
  8. Uma pena não ter superado suas expectativas! :/
    Eu continuo ansiosa pela leitura. Espero gostar mais.

    Beijos

    ResponderExcluir