sábado, maio 18, 2013

Resenha: Sob o céu do nunca

. .


Sob o céu do nunca (Never Sky #1)
Título original: Under the never sky
Autora: Veronica Rossi
Editora: Prumo
Páginas: 336
Link no Skoob: 
Sob o céu do nunca é o primeiro livro da trilogia Never Sky e um livro pelo qual estava muito curiosa para conhecer. E o livro não me decepcionou. Este é o início de uma história que promete ser muito boa.
 
Ária foi expulsa da cidade encapsulada na qual morava, Quimera, devido à uma grande confusão. Agora ela é obrigada a tentar sobreviver na Loja da Morte, como é chamado o mundo fora das capsulas.   Mesmo passando por vários problemas, ela tenta juntar suas forças para descobrir o que aconteceu com sua mãe, que foi para outro núcleo trabalhar e não tem contato há algumas semanas.
 
Peregrine (Perry) é um Selvagem. Ele vive na tribo dos Marés (fora das cidades) e é um dos culpados pela expulsão de Ária. Ele um Olfativo, e com isso consegue decifrar o que as pessoas estão sentido através do seu cheiro. Seu sobrinho Talon é raptado pelos Ocupantes (os cidadãos das capsulas) e ele se sente no dever de ir atrás do menino.
"Eles chamavam o mundo além das paredes do núcleo de "a Loja da Morte". Havia um milhão de maneiras de morrer por lá. Ária nunca achou que chegaria tão perto." (primeiro parágrafo, pág. 7)
Ária e Perry acabam se encontrando e, apesar de inicialmente não se gostarem muito, precisam unir forças para que consigam seus objetivos: encontrar a mãe de Ária e Talon. Porém é claro que isso não será uma tarefa fácil.

Como toda distopia, conhecemos um mundo completamente novo. A diferença aqui é que (ainda) não sabemos como o planeta chegou nesse ponto. As cidades encapsuladas são o lugar ideal, onde os cidadãos possuem tudo o que precisam. Cada pessoa tem um dispositivo chamado de olho mágico que permite que ela viaje e imagine Reinos sem que precise sair do lugar. E mesmo sendo apenas imaginação, todos conseguem sentir como se estivessem no local. Já o mundo fora das capsulas é dominado por tempestades de Éter que destroem tudo por onde passam. As pessoas que vivem lá normalmente se distribuem em tribos para que possam se proteger e sobreviver. Algumas possuem sentidos extremamente aguçados (como audição ou olfato), e isso é considerado um dom.

Ária e Perry são personagens bons e que convencem. A transformação de ambos é gradual e entendível, não ficando forçado. Ária inicia como uma garota frágil e que nunca conheceu o medo ou a dor, e consegue provar sua mudança de personalidade ao longo do livro. A narrativa intercala capítulos pela visão desses dois personagens, algo que se mostra bem efetivo ainda mais pelo fato de cada um ter vindo de um mundo completamente diferente do outro.


A escritora nem sempre se preocupa em explicar diretamente os conceitos e cidades assim que aparecem, deixando que o leitor consiga ir entendendo aos poucos como as coisas funcionam. Apesar de parecer algo ruim, não é. Acabamos nos sentido um pouco como Ária e Perry, tendo que assimilar características que não são comuns para nós e que são tão triviais para o outro.

É um livro com bastante aventura e com um mundo ricamente pensado. Como todo início de trilogia, esse livro inicia com um ritmo mais lento, vai  aumentando o ritmo até fica eletrizante e acaba terminando com várias perguntas pendentes. E um belo gostinho de quero mais para os próximos. É o tipo de livro que simplesmente não sentimos a leitura pesar e, quando vemos, já estamos perto do fim. É um início de série que vale a pena a leitura e que promete bons livros pela frente. Recomendado para todos, mas em especial para quem gosta de distopias. 
"Eu nunca me senti daquela forma. Nós não temos medo daquele jeito. Mas se essas duas coisas são diferentes, então, há mais coisas, certo? Outras coisas, além do medo e das pedras que são diferentes no mundo real?" (pág. 122)
Muito bom

16 comentários:

  1. Eu tenho esse livro, mas ainda não li, só pela sinopse eu já tinha achado o livro bom, a resenha me deixou com muita vontade de ler, eu adoro distopias! :D
    Eu gostei do começo de cada capitulo do livro, tem tipo uns galhos de arvore.
    Irei lê-lo o mais rápido possível :D

    ResponderExcluir
  2. Noossa que confuso!
    Acho que pra quem lê é mais fácil de entender.
    Mas eu gostei da história, se tiver oportunidade de ler, vai ser bom! :)

    ResponderExcluir
  3. Não estou conseguindo amar as distopias como a maioria das pessoas, talvez por isto não tenha me interessado muito pela história. Também acho meio chato este lance de personagens femininas super frágeis e inocentes (ainda que depois mudem), parece muito batido.
    Nem sabia que era parte de uma trilogia, mas concordo que quando é assim, o primeiro livro acaba sendo mais lento, até para apresentar a realidade do livro ao leitor.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Gostei muitooo. Sempre que leio uma distopia acho que vou encontrar um pouco de Jogos Vorazes por isso me encantou "Sob o céu do nunca". Distopia adorável, encantadora, fantástica e fluída. Contado em 3ª pessoa, por capítulos em que se alternam Ária e Perry, é objetivo, interessante, complexo e fascinante.
    O início é gradual, mas achei natural por se tratar de uma trilogia, o que configura introdução.

    ResponderExcluir
  5. Aeee gostei muito da sua resenha!!
    Tô muito ansioso em ler essa livro, pois acho o mundo bastante criativo e tbm pq a escritora é brasileira, por isso tõ curioso já que ela é mais famosa lá fora do q aqui.

    Os direitos desse livro já foram vendidos pra Warner, então já esperamos um filme de alta qualidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela nasceu no Rio mas já mora há algum tempo no Canadá. Se duvidar é mais de lá do que daqui mesmo :)

      Excluir
  6. Fiquei bem curiosa com esse novo universo criado pela autora!
    Estou bem curiosa pelo amadurecimento da Ária!!!
    Gostei do livro!!!

    ResponderExcluir
  7. Eu amo distopias e depois de ler tantas resenhas positivas sobre Never Sky, estou louca para lê-lo! Gosto de histórias que nos trazem suas concepções de no que o mundo pode se tornar... acabam fazendo nós refletirmos muito!
    Geralmente o que mais gosto nos primeiros livres de série são que nesse primeiro momento, nós ficamos sabendo um pouco desse novo mundo, descobrindo como as coisas são e entendo melhor cada personagem. Gostei muito de saber que o livro é narrado por 2 personagens, o que nos possibilita melhor entendimento de cada ponto de vista.

    Beeijos,
    iSteh

    ResponderExcluir
  8. Muito bom esse livro não é? A história dele vale mesmo a pena. Queria ler, mas não senti muita vontade de ler. Foi um desses livros que ficaram na berlinda, que só vi resenhas e pro mim está bom por aí. Quem sabe um dia não leio mesmo...mas por enquanto só resenhas.

    ResponderExcluir
  9. Eu já vi varias resenhas desse livro e parece que é uma leitura bem interessante, só que eu não estou louca pra ler tipo fico sentindo toda hora vontade de ler, mas pretendo, pois a autora é brasileira e faz sucesso pra fora e isso é bem legal na minha opinião.

    ResponderExcluir
  10. Eu amo distopias. Amei essa resenha, e saber que tem todas as caracteristicas que um livro bom tem, eu fiquei doida para ler. Além do mais, como eu disse eu tenho o marcador desse livro e faz um tempo que ando apaixonada pela capa KK

    ResponderExcluir
  11. Eu não curto muito distopias, acabo me sentindo confusa com tanta informação nova de um mundo novo sabe?! Haha.
    A única coisa boa que eu achei foi que é de uma autora brasileira!

    ResponderExcluir
  12. Como as distopias não me 'fisgaram' não fiquei interessada nesse livro.
    Li bons comentários dessa trama.

    ResponderExcluir
  13. Amo distopias, me apaixonei por elas depois de Jogos Vorazes, hihi
    Mas eu não sei, já estou muito cansada de séries, to bem enjoada.
    Ele parece muito bom (vc falou mt bem dele, rs) mas eu não sei...

    ResponderExcluir
  14. comecei a fuxicar no blog e estava louca para ler sua resenha deste livro :)adoro distopias principalmente quando a sinopse quase me mata do coração e a capa é LINDA *-* com certeza vou ler, sua resenha fou perfeita e me deixou a par do que esperar, agora quero o livro para mim!

    ResponderExcluir
  15. Eu estou apaixonada neste livro, mal vejo a hora de lê-lo! Não sabia que ele era uma trilogia, mas mesmo assim quero lê-lo!

    ResponderExcluir