terça-feira, março 26, 2013

Resenha: A garota que podia voar

. .


A garota que podia voar
Autora: Victoria Forester

Editora: Autores Associados (Ciranda das Letras)
Páginas: 266
Link no Skoob:
Sabe aquele livro que é completamente diferente do que a gente imagina? Pois esse é um deles. Imaginava um livro infantil, simples e singelo sobre uma menina que podia voar. Talvez algo no estilo de uma fábula. Não podia estar mais enganada.
 
Piper McCloud é uma menina especial: ela pode voar. Seus pais (Betty e Joe) são fazendeiros e muito apegados aos costumes, dificilmente precisam lidar com mudanças na vida. Além disso, sempre foram muito religiosos então não conseguem compreender o dom da filha. Piper normalmente voa escondido por medo do que as outras pessoas irão pensar, porém um dia as coisas escapam de seu controle e ela acaba voando na frente de toda a comunidade. Esse dia vira a vida dela de ponta-cabeça, com ela acordando no outro dia com a casa cheia de repórteres e os vizinhos com medo de que seus filhos brinquem com a menina.
"Piper decidiu pular do telhado. Não foi uma decisão precipitada.Este era seu plano - subir até o alto do telhado, correr de uma ponta à outra para ganhar velocidade. Pular.Finalmente, e o mais importante, não cair." (pág. 1, primeiras linhas)
A Doutora Hellion é diretora do I.N.S.A.N.O, um instituto para pessoas com dons especiais. Ela vai até a casa de Piper após saber sobre o incidente e resolve ajudá-la levando a menina para o instituto. Seus pais ficam um pouco relutantes, mas como querem o melhor para a filha a deixam ir. O instituto aparentemente perfeito, e todos os alunos tem algum dom, o que deixa Piper muito feliz. Conrad é um desses alunos, um menino muito inteligente, até mais do que os seus pais gostariam (motivo pelo qual ele foi mandado para lá). Praticamente todos os alunos tem medo dele. Porém o que parecia perfeito no início começa a dar sinais de problema, e Piper precisa pensar rápido em como ajudar seus colegas.

Definitivamente, não é um livro para crianças. Tem um tamanho bem razoável, sem imagens e com uma trama relativamente complexa. É um livro bem juvenil e com o foco na aceitação das diferenças. Piper é uma menina adorável e muito sincera. Ela argumenta com seus pais sobre Deus, liberdade e seu dom. Tudo do ponto de vista de uma criança que não consegue entender como as coisas funcionam no mundo ainda. Aliás, o livro traz muitos questionamentos e reflexões, em especial sobre o que devemos fazer com as nossas diferenças: escondemos ou é algo que podemos usar com orgulho?

Confesso que no início a narrativa não me chamou muito a atenção. O livro parecia um pouco enrolado, demorado para engrenar. Porém depois que Piper vai para o instituto a história se torna muito atraente. Todos os personagens e os cenários são bem explicados, e a emoção da história começa. Bastante aventura e suspense juvenil, tudo em um clima de escola. Tem uma parte do desfecho que para mim se desenrolou de forma rápida demais, porém é apenas uma coisa entre tantas interessantes do livro.

Gostei bastante da capa, bem mais bonita que a originial. A fonte é agradável e não notei problemas de português/digitação. Achei as folhas de um papel curioso, são como as de "livros de inglês". Não sei o nome desse tipo de papel, mas é mais grosso e um pouco brilhante. Bonito e de boa qualidade, porém acho que isso deve contribuir para o livro ser um pouco mais caro.

A história de Victoria Forester é bem envolvente e, apesar de fechar a história sem muitas brechas, deixa algumas coisas no ar que poderiam se tornar um próximo livro - apesar de o mesmo não existir. Talvez a escritora ainda esteja pensando na continuação. Para quem gosta de histórias juvenis com aventura, esse é uma boa indicação!
"Eu acho que não machuca ninguém a gente ter um sonho e um plano. Porque se a gente não fizer isso, nunca vai chegar a lugar nenhum." (pág. 52)
Muito bom

16 comentários:

  1. Me convenceu, o livro parece muito bom mesmo, além dessa capa ser bem bonita!

    My recent post:
    Resenha 'As Últimas Lembranças'

    ResponderExcluir
  2. Bacana esse livro, mas não sei se leria. Não curto muito histórias assim =/

    ResponderExcluir
  3. Também imaginei que o livro fosse infantil, mas não é bem assim. Também não dá para dizer que é uma leitura adulta (rs) e talvez por isto, não tenha ficado super afim de ler a obra.
    De qualquer maneira, a história tem lá sua semelhança com X-MEN, né? Isso é um ponto positivo, na minha opinião.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Pela capa e título imaginei algo juvenil, apesar da boa resenha não despertou a minha curiosidade.
    Essas tramas com toques sobrenaturais não me atraem...

    ResponderExcluir
  5. Pelo título eu achava que era algo infantil mesmo, mas ao analisar um pouco a capa percebi que não era bem assim, acho que por causa das expressões da mulher e da menina na capa, e o céu mais escurinho, dai ja imaginei que não fosse tão infantil, haha.
    Apesar de não ser muito fã de aventuras eu gostei dessa história, parece interessante, mas não ao ponto de fazer o livro entrar pros meus desejados, rs.

    Beijos, Flá. { http://pequenascoisaas.blogspot.com.br/ }

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda não conhecia esse livro, conheci agora, e parece ser realmente muito interessante.
    A tua resenha tá ótima e convence muito a ler, deixa bem claro que o livro vale a pena.
    Não tive tempo de julgar o livro pela capa, ja que como vi aqui, você já tirou a opção de um livro infantil...

    Beijos da Lua =*
    www.tyciahadiresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. O livro me parece muito bom, sou fã de livros infantos juvenis!

    ResponderExcluir
  8. Não daria muito pelo livro só olhando ele, mas pelo que você escreveu parece valer a pena a leitura.

    ResponderExcluir
  9. Realmente a primeira coisa que pensei ao ver a capa era que se tratava de um livro infantil, realmente achei a história interessante, só esperava que fosse uma leitura mais rápida e fluente.

    ResponderExcluir
  10. Até que não me interesso por histórias com fantasia ou fora da realidade. Mas quando o assunto é interessante e essa 'divagação' do autor corresponde à narrativa de maneira bonita, vale, sim. Amei sua resenha! Lembrei de 'extraordinário', que aborda o tempo de escola e a aceitação das diferenças. Quero ler, sim.
    Ah, o papel a que vc se referiu deve ser o couché, viu? Bjs

    ResponderExcluir
  11. Nossa adorei a resenha e agora que ler a todo custo, pena não ser um livro muito barato, mas parece que vale o investimento, adorei!

    ResponderExcluir
  12. Interessante você comentar sobre o tipo de papel.
    Valeu a dica e a resanha.

    ResponderExcluir
  13. Tenho a impressão que já li esse livro, ou vi algum filme parecido, mas não tenho certeza. Acho legal qd o livro passa uma mensagem como parece ser o caso desse.

    ResponderExcluir
  14. A capa do livro pe bem bonitinha. O nome funciona, chama a atenção. Quanto ao conteúdo, eu ainda não li e espero fazer isso em breve, mas leio resenhas e comentários e vejo todos elogiando o livro. Algumas pessoas dão opiniões contrárias, mas são tão poucas!!!

    ResponderExcluir