quinta-feira, janeiro 31, 2013

Resenha: Os pilares da terra

. .


Os pilares da Terra (The pillars of the Earth)
Autor: Ken Follet  
Editora: Rocco  
Páginas: 944  
Link no Skoob: 
Avaliação: Ótimo
Comecei a me interessar por "Os pilares da Terra" quando descobri que o livro que eu já possuía ("Mundo sem fim") era sobre os descendentes deste. Ouvi que não fazia muita diferença ler ou não, mas sempre que possível prefiro ler na ordem. Estava achando essa tarefa um pouco complicada porque o livro era antigo e era dividido em dois volumes. Tudo isso se resolveu quando a Rocco lançou, no ano passado, uma linda edição de volume único e capa dura. 
A história se inicia com o prólogo narrando o acidente da embarcação White Ship, em 1120, onde morreram todos os tripulantes. Nele estava o único filho legítimo do rei da Inglaterra na época, além de três filhos bastardos. Devido a isso, segue-se um período de guerras no país para definir quem irá suceder ao trono: sua única filha (Matilde) ou seu sobrinho (Estevão). Esses fatos são reais e servem como pano de fundo para a história.
"Os garotos chegaram cedo para o enforcamento. 
Ainda estava escuro quando os primeiro três ou quatro esgueiraram-se para fora do galpão, silenciosos como gatos com suas botas de feltro. Uma fina camada de neve cobria a cidadezinha, lembrando uma nova demão de tinta, e suas pegadas foram as primeiras a macular a superfície perfeita." (pág. 9, primeiras linhas)
No prólogo temos conhecimento de um enforcamento (no ano de 1123) e, após, iniciamos o primeiro capítulo (a partir do ano 1135) acompanhando a família de Tom Construtor, que acaba de perder o trabalho porque a dama que iria se casar com o conde Willian desiste, e Tom é dispensado de construir a casa que seria do casal. Então resolve ir com a família atrás de trabalho, de preferência o de seus sonhos: construir uma catedral. Acompanhamos a história de vários personagens através dos anos, visto que o livro é finalizado no ano de 1174 - praticamente quarenta anos após seu início.

É complicado narrar todas as histórias de todos os personagens porque, realmente, são muitos. Porém ao contrário de outros livros que já li, todos os personagens tem histórias e personalidades tão bem definidas que é muito difícil de esquecermos de um ou outro durante a história. E manter todos os personagens vivos na nossa cabeça por 900 e poucas páginas não é tarefa fácil.

A história tem muita ação e reviravoltas, o que a torna super ágil e nada cansativa. Cada pedaço do livro é contado a partir do ponto de vista de um personagem e isso torna a narrativa muito boa, porque sempre vemos as motivações de cada um e o seu problema no momento. Devido ao seu número de páginas leitores mais jovens provavelmente já se mantem afastados do livro, de qualquer forma vale ressaltar que ele tem cenas de estupro e violência de guerra não sendo recomendado para pessoas muito jovens.

Os únicos momentos em que achei a narrativa um pouco parada foram quando um ou outro personagem começa a explicar como imaginam uma catedral. Aí vemos tantos termos desconhecidos e técnicos que cansa um pouco. Contudo essas passagens e descrições não passam de uma ou duas páginas por vez, algo quase insignificante para uma história desse tamanho. 

A edição da Rocco está muito bonita. A imagem da capa retrata muito bem o livro e o fato de ser capa dura era algo quase indispensável para um livro deste tamanho. Encontrei alguns poucos erros de digitação (letras maiúsculas onde não deveriam) mas no geral está muito bom. Outro ponto positivo é o preço: para um livrão desse tamanho, 49 reais achei algo bem justo (e já vi mais barato). Minha única ressalva é para as letras douradas da capa que tenho a impressão de serem do mesmo material dos Harry Potter, o que significa que em pouco tempo deverão estar com a aparência bem gasta também. 

Apaixonei-me pela escrita de Ken Follet e pela sua formidável forma de escrever livros gigantes sem que os mesmo sejam chatos. O fato de ter um fundo histórico também é algo que sempre me agrada. Mal posso esperar para ler "Mundo sem fim" e sua outra série "O século", que vem sendo lançada pela Arqueiro. Só vou dar um tempinho porque já levei quase um mês para terminar esse :)

Em 2010 o livro foi adaptado em uma minissérie de quatro capítulos.
"Amaldiçoo vocês com a doença e o infortúnio, com a fome e a dor; sua casa será consumada pelo fogo, e seus filhos morrerão na forca; seus inimigos prosperarão, e vocês envelhecerão na tristeza e no remorso, e morrerão na podridão e na agonia..." (pág. 13)

13 comentários:

  1. Adorei sua resenha e fiquei doida para lê-lo. A desvantagem é esse material da Rocco, eu não sou louca pelos livros da Rocco (exceto HP), mas os livros são caros então deveriam ter um material melhorzinho.

    clicandolivros.blospot.com

    ResponderExcluir
  2. É a primeira resenha que leio desse livro.

    O Ken Follet só escreve livros enormes heim, quase mil páginas, :0

    ResponderExcluir
  3. Oi flor,

    Como vai?

    Amei o seu blog!
    Parabéns!!!
    Ansiosa para as próximas postagens.
    Já estou fazendo parte deste cantinho tão encantador, faça-me uma visita ao meu blog e se gostar será um imenso prazer em te-lá em meu cantinho.
    http://melbernardo.blogspot.com

    Bjok@s e sucessos

    ResponderExcluir
  4. Oi Oi Linda.
    Acredito que não estou enganada, mas desse livro também tem filme, estou certa?
    A tua resenha foi direta, simples e objetiva, gostei bastante. Mas não sei ao certo porque esse livro não me chama muito a atenção, não que eu não goste de livros épicos, até gosto, mas esses em si não me conquistam.
    De toda forma se aparecer alguma oportunidade irei ler.

    Beijos da Lua =*
    www.tyciahadiresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela resenha! Li esse livro em janeiro e, pra mim, que não faço resenhas, foi muito difícil. Mas, como participo do DL 2013, agora preciso aprender. Adorei o livro, muito, mas muito bem cruel e tirei duas estrelinhas por conta das descrições enfadonhas das catedrais.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Li Queda de Gigantes (Primeiro volume da trilogia O século) em janeiro e adorei,acabou se tornando um dos meus livros favoritos. O autor é ótimo, concordo com a sua resenha no ponto em que diz que é possível se lembrar de todos os "vários" personagens e suas histórias, pelo menos no livro que li. Espero poder ler esse e outros do autor.

    ResponderExcluir
  7. Realmente o livro é muito Bom,apesar do tamanho consegue manter uma narrativa que prende o leitor, e sobre a edição de capa dura da Rocco infelizmente as letras douradas apagam com o tempo,uma pena. ¬¬

    ResponderExcluir
  8. Realmente o livro é muito Bom,apesar do tamanho consegue manter uma narrativa que prende o leitor, e sobre a edição de capa dura da Rocco infelizmente as letras douradas apagam com o tempo,uma pena. ¬¬

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho 16 anos e será se posso ler esse livro? embora eu já tenha lido a série O século que tem umas 900 pag rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria Clara! Para ti creio que não vá ser problema o tamanho do livro então :) Ele tem algumas passagens mais pesadas, de abuso, estupro, morte, essas coisas. Então depende mais se tu já está acostumada a ler esses assuntos ou não...

      Excluir