quinta-feira, outubro 11, 2012

Resenha: O aprendiz de alquimista

. .


O aprendiz de alquimista (The Alchemist's Apprentice)
Autor: Dave Duncan
Editora: Prumo
Páginas: 368
Link no Skoob:
http://www.skoob.com.br/livro/94504
Cortesia da editora
Sinopse: Para o lendário clarividente, astrólogo e médico Nostradamus, o futuro é um místico vórtice de miríades de acontecimentos e intermináveis possibilidades, sempre em eterno movimento.
Mas para o jovem espadachim Alfeo Zeno, seu aprendiz e protetor, já é bastante difícil cuidar do presente. Ele passa os dias debruçado sobre cartas de astrologia e cálculos e as noites, sobre magia arcana ou transcrevendo as nebulosas profecias de Nostradamus. Até que um dia o Conselho dos Dez quer levar o Mestre preso.
Um amigo do príncipe, funcionário de alto nível, morreu em circunstâncias misteriosas depois que Nostradamus lhe fez o horóscopo, e circulam rumores de que o sábio envenenou a vítima para promover a própria reputação. Alfeo fica atônito quando o Mestre se recusa a fugir. Ao contrário, Nostradamus insiste em permanecer na cidade de Veneza, e atribui ao aprendiz a tarefa de limpar o nome dele.
Das alturas do poder, paixão e desejo, até os reinos mais escuros, Alfeo precisa desenrolar uma teia de magia e assassinato antes que seu Mestre seja enforcado em praça pública.
O aprendiz de alquimista é o primeiro livro da série "O alquimista", de Dave Duncan, e o primeiro que recebo da editora Prumo, nova parceira do blog. Na história acompanhamos Alfeo Zeno, um aprendiz de Nostradamus, durante suas investigações sobre um caso de assassinato pelo qual acusam seu Mestre. 

Apesar da capa dizer "Aventura e suspense envolvendo Nostradamus", ele não é nosso personagem principal. Toda a narrativa é a partir do ponto de vista de seu aprendiz, Alfeo Zeno. O personagem é bem construído e a narrativa é repleta de tiradas cômicas e ironias, em especial por parte dele. Porém são coisas discretas que talvez passem despercebidas para alguns leitores. São passagens que dão um toque ótimo de humor na trama. 

A história se passa no século XVI, em Veneza. Temos belas descrições sobre a cidade, seus canais e gondoleiros, o que criou um ar interessante para a narrativa. O autor optou por escrever com uma linguagem um pouco mais complexa (característica pode ser vista já na sinopse) e fazer uso de um número razoável de palavras e expressões em italiano, motivo pelo qual o livro possui um glossário nas últimas páginas. Algumas são fáceis de serem decoradas ou entendidas devido ao contexto ou ao uso mais regular, porém outras fazem o leitor recorrer ao glossário. 
"Foi o dia mais chuvoso desde a Arca de Noé. Por acaso, também o dia de São Valentino, dos Namorados, mas eu não estava em clima romântico. O próprio santo haveria amaldiçoado o tempo." (pág. 5, primeiro parágrafo)
Por ser um livro de investigação, achei que a história poderia ser mais ágil. Talvez seja culpa da linguagem mais rebuscada, mas demorei um pouco para entrar na história. Outro item que não costuma me agradar em livros acontece nesse: conhecemos muitos personagens ao mesmo tempo. O assassinato acontece em um jantar e a história começa após o fato, então inicialmente recebemos uma "lista" de quem esteve lá e o que fazia, para só depois começarmos realmente a conhecer cada um. Pessoalmente não gosto dessa abordagem porque tenho sérias dificuldades em lembrar os nomes e acabo trancando um pouco a leitura. 

Além disso, Violeta, uma das personagens, é identificada por Alfeo por vários apelidos, dependendo do seu humor: Medéia, Helena ou Aspásia. Outros personagens ora são tratados pelo nome e ora pelo sobrenome, o que também dificultou a gravação de quem era quem.
Acho que o clímax do livro poderia ser mais detalhado. Senti que passamos muito tempo tentando descobrir quem fez e acabamos sabendo quem, porque e como de forma sucinta. Apesar de bem explicado, poderia ter um maior foco na história. Um ponto interessante, apesar de complexo, é a descrição dos governantes e grupos de poder na cidade. É uma bela bagunça política.

A edição da Prumo está muito bonita, com fonte em tamanho agradável e não encontrei problemas de ortografia. A imagem da capa está mil vezes melhor que a original e possui alguns detalhes em verniz. Por mim a imagem poderia apenas ser um pouco mais clara, para dar mais destaque aos detalhes.

O livro possui alguns capítulos muito bons e outros nem tanto. Irá desagradar quem busca apenas uma história de linguagem simples pois o leitor irá precisar de uma certa atenção ao ler. Talvez aconteça como aconteceu comigo, de demorar um pouco até "entrar" realmente no ambiente da narrativa, mas assim que ultrapassamos isso a história se desenrola bem. Apesar de ser o primeiro de uma série (que no momento possui três livros, todos já publicados no Brasil), a história tem início, meio e fim, e não deixa pontas soltas. 

"... você terá de acompanhar esta peste pela cidade e certificar-se de que todos entendam que não se acham de modo algum sob imposição de cooperar, mas, se não aparecerem, a ausência será notada. O comparecimento é apenas voluntário, mas Deus ajude os que não forem. Nada de ameaças, porém. Entendido?" (pág. 267)
Série "O alquimista"
#1 - O aprendiz de alquimista
#2 - O código do alquimista
#3 - A missão do alquimistra

11 comentários:

  1. Estou fugindo de séries...

    Gosto de livros com temática investigativa, mas esse não me chamou a atenção para lê-lo.

    Bjo.

    ResponderExcluir
  2. Hm esses livro parece ser interessante mas por enquanto ele não me parece ser muito o tipo e leitura que estu procurando ^^ otima resenha

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a pessoa que comentou aqui em cima: to fugindo de séries!

    Não sei o que esse povo tem q só escreve série, agora! IUASHaiuShIHAS

    Anyway, parece ser um livro legal!
    Não tenho nada contra livros com palavras rebuscadas ou que tenham muitos personagens, ainda mais se tiver esse humor discreto que vc descreveu!

    ResponderExcluir
  4. Ótima resenha, editora, livro, tema, tudo novidade para mim.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela parceria!

    Sou mais uma ai que tá fugindo de séries! rsrsrs. Tenho 3 pra terminar ainda: Beijada por um Anjo, Fariewalker e Fazendo meu filme. Depois que eu terminar elas quem sabe eu procure outras...

    Século XVI em Veneza? Que maravilha! haha. Pena que eu não curto muito esses livros com investigações, mistérios e tals ç.ç Isso ai de conhecer muitos personagens ao mesmo tempo eu também não gosto muito, acabo me confundindo demais!

    Adoro resenhas grandes assim, acabamos conhecendo melhor a opinião e tal! Ótima resenha a sua *.*

    ResponderExcluir
  6. Até gostei da resenha...
    mas por ser uma serie não tenho tanta vontade de ler..
    Quem sabe depois né !!!!

    ResponderExcluir
  7. Oi..

    Não me interessei muito por esse livro embora tenha achado a sua resenha muito boa.. E a capa desse livro também é muito feia e nem um pouco atrativa..

    ResponderExcluir
  8. Apesar de ter gostado da resenha, o livro nao me chamou anta atenção assim, quem sabe futuramente eu nao leia, no momento to lendo algo mais leve.

    ResponderExcluir
  9. Em princípio é um enredo que me interessa, mas para um livro com fundo policial realmente deveria ser mais ágil. Ainda não decidi se é um livro que eu gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  10. É um livro que me interessa mesmo não sendo o tipo de leitura que estou habituada. Eu não gosto muito de livros policiais, mas parece ser ótimo.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Bom, não sei se foi somente eu, mas eu gostei da capa. Achei interessa, tem bastante detalhe em que se olhar nela. O livro parece ser interessante, em certo modo. Mas é uma série, eu não costumo ler séries...

    Beijos e ótima resenha!

    ResponderExcluir