terça-feira, outubro 30, 2012

Resenha: Liberte meu coração

. .


Liberte meu coração (Ransom my heart)
Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Páginas: 404
Link no Skoob:
http://www.skoob.com.br/livro/165125

Sua Alteza Real, a princesa Mia Thermopolis da Genovia, cujos diários se tornaram sucessos de venda, agora mostra ao mundo inteiro seu primeiro romance — cheio de perigo, desejo e um amor que vencerá todos os obstáculos... com a ajuda da incrivelmente talentosa Meg Cabot! 
Finnula é a caçula de seis irmãs e um irmão na Inglaterra do século XIII. Enquanto suas irmãs se contentam em fofocar sobre maridos, crianças e afazeres domésticos, Finnula é alvo de comentários maldosos de toda a vila por caçar nos terrenos do conde e por andar por aí em calças de couro justas! 
Mas de repente Finnula se vê envolvida numa complicação sem tamanho... Uma de suas irmãs acabou com o seu dote comprando vestidos e bugigangas, e a única forma em que as duas conseguem pensar para recuperar esse dinheiro é muito pouco usual... Sequestrar um lorde ou um cavaleiro rico que possa pagar um resgate! 
O que ela não esperava é que esse sequestro fosse criar mais problemas do que soluções: o cavaleiro recém-chegado das Cruzadas que é escolhido por Finnula vai acabar se mostrando alguém muito diferente do esperado, e a moça pode acabar tendo que abrir mão do resgate... e de seu coração.

Mia Thermopolis (protagonista da série "O diário de princesa") escreve esse livro com a ajuda de Meg Cabot. Sinceramente, como não acompanhei a série, não tinha ideia de que tipo de influência isso teria na história. Pesquisando um pouco descobri que "Liberte meu coração" aparece na série nos livros 9 e 10, sendo o livro que a princesa escreve. E, realmente, essa informação não fez muita diferença. 

Finnula Crais é uma jovem caçadora ruiva bem diferente das irmãs. Não quer saber de casamento, filhos ou qualquer tipo de tarefa doméstica. Porém Mellana, uma de suas irmãs, acaba se apaixonando e ficando grávida de um trovador que mal tem onde cair morto. Juntando isso com o fato de que a irmã gastou todo o seu dote em roupas e bugigangas, Finnula aceita ajudar Mellana da forma mais comum de se conseguir dinheiro na época - sequestrando um jovem rico.
"O gavião estava de volta.Finnula o viu no instante em que abriu a persiana de madeira da janela do seu quarto para ver se o xerife e seus homens já tinham partido nos cavalos. O enorme pássaro marrom de olhar maligno estava empoleirado, o mais calmo possível, no topo do telhado de sapê do galinheiro." (pág. 9, primeiras linhas)
Na sua busca Finnula acaba encontrando Hugo Fitzstephen, um soldado que está voltando para casa após lutar dez anos na Guerra Santa. Finnula  percebe que o moço é rico, consegue capturá-lo e acaba tendo um prisioneiro mais do que satisfeito por ser preso por uma garota tão bonita, impetuosa e diferente das demais.

O livro é cheio de romance e de personagens apaixonantes como Meg Cabot sabe bem fazer. E quando falo em romance é algo razoavelmente explícito mesmo, motivo pelo qual ainda não entendi como esse livro se passa por juvenil. Tem horas que podia jurar que estava lendo uma narrativa dessa nova safra de romances adultos.
Hugo é aquele personagem bonitão, rico, querido e mais velho, que está disposto a largar sua vida de mulherengo por Finnula. Já a jovem é aquela personagem que foge dos padrões da época, diferente das outras mulheres que conhece e sem total noção de sua beleza. Sim, dois tipos de personagens bem parecidos com vários outros de outros livros, mas ainda assim a história prende.
"Vamos ver como você vai ficar honrada quando estiver com seu décimo terceiro fedelho e seu marido ferreiro estiver chegando da taberna local fedendo a cerveja e mandando você preparar o jantar." (pág. 121)
Não sei bem o que Meg Cabot tem, mas é o segundo ou terceiro livro dela que leio e que segue a mesma linha: dois protagonistas que são de diferentes personalidades, inicialmente brigam, acabam se rendendo um ao outro, brigam mais um pouco... mas mesmo assim as histórias me cativam. Acho que ela tem um certo dom para esse tipo de história.

A narrativa é simples e, apesar de se passar na Inglaterra do século XIII, não faz uso de linguagens da época. Os capítulos se intercalam, sendo uma parte através da visão de Finnula e outros através da visão de Hugo - iniciativa sempre interessante para vermos o ponto de vista de cada um. Mistura o romance com um pouco de ação, aventura e sacadas mais irônicas. Em resumo, recomendo para quem gosta de um romance jovem (porém com cenas mais quentes) e leve para ler.
"... o tipo de mulher com que gostaria de passar o resto da vida, o tipo que ela era. Que interesse ele tinha em bebês e tortas? Nenhum, nenhum mesmo." (pág. 235)

13 comentários:

  1. Ainda não li nada da Meg Cabot ... não sei, acho que faltou oportunidade, sempre aparecem outros que quero ler mais e acabo não lendo. Acho que, para começar, eu deveria escolher um mais iniciante. Acho que "Liberte meu coração" já está mais avançado. Dá a impressão de que ficarei meio perdida na história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que dá pra começar por "Liberte meu Coração" sim. Eu comecei por ele! E é totalmente independente. Apesar de ser escrito pela Mia, de O diário da princesa, eu não senti falta de nada na história, foi completa e muito boa. Acho até que vai ser mais legal se eu ler a série O diário da princesa tendo lido esse, porque nas partes em que a Mia estiver falando do livro eu vou lembrar e saber melhor o que ela tá pensando, entende?! Eu recomendo sim ^^

      Excluir
  2. Foi o primeiro livro que li da Meg Cabot e adorei! Também não entendo como se passa por juvenil sendo que tem algumas - poucas - cenas quentes, rs.
    Lendo a sua resenha tive vontade de reler o livro, haha. É muito bom mesmo. E isso de cada capítulo ser do ponto de vista de um deles é muito legal, adoro quando isso acontece pra poder entender o que cada personagem pensa e tal.
    Sou apaixonada por romances históricos, apesar do livro não ter linguagens da época eu consegui imaginar tudo lá sabe, adoro isso, muito muito bom! haha.
    Ótima resenha!!

    Beijos, Flá. { http://pequenascoisaas.blogspot.com.br/ }

    ResponderExcluir
  3. Oi..

    Gostei muito da sua resenha e é a primeira vez que leio uma relacionada a esse livro e gostei do que li.. Mas, ainda não li nada da Meg Cabot, mas acho que o primeiro vai ser o Diário de uma Princesa e depois aventuro em outros livros..

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nada da Meg Cabot e nem tenho pressa para fazê-lo, :(

    Leio muitos comentários positivos, alguns negativos, mas nenhumas das resenhas me fez ter curiosidade. Apesar de serem bem escritas, assim como a sua.

    Bjo.

    ResponderExcluir
  5. Olha só, eu já tinha ouvido falar deste livro, mas nem fazia idéia da ligação com a 'Mia.'
    Tudo de bom.

    ResponderExcluir
  6. Ja li livros dessa escritora mas esse é sempre o que mais tenho vontade de ler embora nunca concigo comprar porque ele geralmente não tem na livraria ¬¬ Bem mas eu gostei da resenha e adoro romances juvineis ^^

    ResponderExcluir
  7. Apesar de nunca ter lido nada sobre a autora, adorei a resenha. A autora para desenvolver muito bem a historia, gostei da capa do livro.

    ResponderExcluir
  8. Nossa eu adoro os livros dela, ainda não tive oportunidade de ler esse. Parece ser realmente perfeito, romance junto com aventura *0*
    Amei a indicação beijos.

    ResponderExcluir
  9. Já li capítulos de livros da Meg, trechos, todos muito bons. Mas livros nunca tive a oportunidade, e quando vou comprar algum livro, não tenho muita prioridade nos mesmo. Mas tenho vontade de ler alguma obra da autora, principalmente, "Ela Foi Até o Fim". Liberte meu Coração me parece bem interessante, ainda mais eu que adoro coisas de época, tudo relacionado ao mesmo me atrai :)

    Ótima resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Sobre os protagonistas...Acho q todos os da Cabot q eu consigo lembrar de ter lido sao assim..>Alias, a maior parte dos romances o sao xD

    Enfim, parece ser legal, mas já passei da cota de Cabot da minha vida xD

    =**

    ResponderExcluir
  11. Essa é a magia da Meg, por mais que ela escreva historias que se parecem, não tem como não gostar, não se encantar com as historias que ela cria.
    Tem algumas séries dela que parecem livros infanto-juvenis, mais tem um conteúdo mais adulto, acho que a editora tinha que informar isso na ediçao.

    bjks

    ResponderExcluir
  12. Gosto muito da Meg, algumas histórias são parecidas mas mesmo assim não perdem o encanto isso que é o melhor

    ResponderExcluir