terça-feira, setembro 04, 2012

Resenha: Longe demais

. .


Longe demais (Going too far)
Autora: Jennifer Echols
Editora: Pandorga
Páginas: 238
Link no Skoob:
http://www.skoob.com.br/livro/141148
Como consegui o livro: Livro Viajante (Skoob)
Sinopse: Tudo o que Meg sempre quis foi fugir. Fugir do colégio. Fugir da sua pacata cidade. Fugir de seus pais, que pareciam determinados a mantê-la presa em uma vida sem futuro. Mas, em uma noite louca envolvendo trilhos de ferrovia proibidos e desafiadores, ela vai longe demais... e quase não consegue voltar. John escolheu ficar. Para impor o cumprimento das leis. Para servir e proteger. Ele desdenha a rebeldia infantil e quer ensinar a Meg uma lição que ela não esquecerá tão cedo. Mas Meg o leva ao limite ao questionar tudo o que ele aprendeu na academia de polícia. E quando ele a pressiona para saber por que ela não se prende a nada, a resposta os levará a um caminho sem volta...
Resenha: "Longe demais" é um livro que tinha tudo para ser excelente (boa avaliação, boa sinopse, início interessante), mas acaba se tornando apenas mais do mesmo. Não que isso seja ruim, a narrativa é boa de se acompanhar e a história tem seus méritos, porém poderia ter se destacado nesse meio de livros YA's se a autora tivesse tomado algumas decisões diferentes.

Meg mora em uma cidadezinha e sempre teve o sonho de sair de lá. Ela tem um visual meio rebelde, que combina com a sua atitude. De cabelos azuis, não é realmente muito próxima de alguém e o mais perto que tem de uma relação é um sexo casual com seu "amigo" Eric. Até seus pais já desistiram dela. 
"- Esta é a pior ideia que já escutei - eu disse ao Eric, tomando mais um gole de cerveja. - Vamos!
- Meg - Tiffany me chamou, mas eu já estava na porta da BMW de Eric. Minha cerveja respingou nas pedras enquanto eu os guiava pelo caminho escuro em direção à ponte da ferrovia." (primeiras linhas)
Meg e seus amigos acabam indo, bêbados, para um local interditado na cidade: a ponte. Lá são detidos por policiais e cada um (menos Eric, um bad boy riquinho sempre salvo pelo pai) acaba recebendo a punição de acompanhar por cinco noites algum profissional que trabalhe prestando socorro às pessoas (polícia, bombeiros e médicos). Nessa punição Meg acaba convivendo com John, o policial que os tirou da ponte. Inicialmente ela tem raiva do policial e acredita que ele tenha em torno de quarenta anos - para depois descobrir que, na verdade, ele foi seu colega de espanhol, não é tão chato assim e tem uma certa fixação pela ponte.

A partir daí as coisas poderiam ter sido diferentes. Os motivos pelos quais levam Meg a ser assim, rebelde, são explicados mas não muito aprofundados (ao menos não como poderiam ter sido). Os traumas de John também passam meio corridos. Seria interessante se ele realmente fosse mais velho, acho que a trama seria diferente. Sinceramente, achei que o "caminho sem volta" que a sinopse fala se tratava de algo mais profundo e sério - não simplesmente um romance. Poderíamos supor que o "caminho sem volta" está se referindo a descoberta dos traumas de cada um, mas daí volto para o que disse no início do parágrafo: poderiam ter sido mais aprofundados.
"Acho que eu provavelmente parecia bem bonita, se ele gostasse de cabelos azuis e de pessoas cansadas" (pág. 73)
A protagonista tem uma história interessante e foge um pouco do padrão  de garota "bonitinha meio tímida que o bonitão da história se interessa". Meg tem uma personalidade forte, impulsiva, gosta de se insinuar para os homens e tem um temperamento meio "tô nem aí". John é o seu oposto: sempre centrado, querendo ser (e parecer) mais velho, bem pé no chão. A interação deles é boa, mas um pouco repetitiva. Senti que várias vezes as conversas poderiam ter sido mais exploradas e fugido um pouco do básico. Tiffany, amiga de Meg, tem uma personalidade mais certinha e tímida e serve para trazer para a narrativa conversas sobre a primeira vez e a importância de não tentar ser diferente. Ela serve como o lado racional de Meg e tem bons conselhos, em especial para os leitores mais novos.

A edição da Pandorga é muito bonita (a orelha rosa pink do livro é fantástica!), mas tem alguns probleminhas de edição. Palavras com letras repetidas (ou faltando) e erros de concordância são encontrados mais de uma vez e mostram que o livro poderia ter passado por uma revisão mais cuidadosa.

Acho que se fosse um pouco mais nova teria gostado mais do livro - porém não recomendo para pessoas muito mais novas pois o livro aborda assuntos como sexo, bebida, cigarro e drogas. Realmente fui ler achando que era algo completamente diferente, acho que isso não ajudou muito também. Para quem gosta muito de YA também é uma boa opção.
"... eu sentia mais por ter preocupado minha mãe. Todas as vezes que meu pai me culpava pelo sofrimento dela, eu queria escapar ainda mais, o que me metia em mais problemas. Queria poder voltar atrás e apagar tudo isso." (pág. 165)

17 comentários:

  1. Engraçado, aconteceu a mesma coisa comigo com outro livro da mesma autora. Todos falavam super bem de Love Story, e eu estava empolgadíssima pra ler, até porque a autora é super bem falada. Mas eu me decepcionei um pouco com a história. Assim como você citou desse livro, no Love Story as coisas poderiam ser mais aprofundadas. E o final é rápido demais. Antes de eu ler algo da autora, eu achava que iria amar e que teria vontade de ler esse - que é o que mais me chamou a atenção. Mas, a não ser que o livro caia em minhas mãos, não pretendo ler mais nada dela =/
    Como você disse, é muito "mais do mesmo".
    Ótima resenha, adorei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Puxa! Estava tão interessada, e acabei me desanimando um pouquinho. A capa é linda, a sinopse chega a ser interessante, e eu havia lido boas críticas a respeito da autora e do livro em si. Bem, fiquei um pouco confusa, e agora, não sei se me arriscarei a comprá-lo. Parabéns pela resenha e pelo blog! Beijos.

    ResponderExcluir
  3. A premissa é realmente interessante.
    Pena que o livro não tenha sido tanto assim.
    Adorei a resenha. Muito bem escrita.

    xeros

    http://www.terradecarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Resenha muito bem fundamentada. É ... o livro não é pra mim. Realmente pareceu ser mais do mesmo como você colocou, então tenho tantos outros mais interessantes para ler.

    ResponderExcluir
  5. Nossa quando li a Sinopse me pareceu ser um livro ótimo aí lá vai eu correndo ler a resenha, e tu me fala que é só mais um livro. Gosto muito de suas resenhas pela sinceridade.
    A autora deveria ter se aprofundado mais nos traumas dos protagonistas principais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ótima resenha, o livro é só mais um livro de uma história de amor YA, está naquele patamar, em que nem amo, nem odeio. É um dos livros que eu leria emprestado.

    ResponderExcluir
  7. Gostei bastante da resenha! Alô, sinceridade. O livro em si parece ser bom e eu gostei da história. Engraçado, sempre digo que cenas clichês são meio chatinhas, mas quando me envolvo com a história nem ligo para isso e acabo soltando suspiros, como se estivesse lendo uma das obras do Sparks. Vou procurá-lo no skoob!

    ResponderExcluir
  8. Sou muito pateta, meu Deus. O link do livro no skoob estava lá em cima e eu nem vi!

    ResponderExcluir
  9. Muito boa a resenha! É, realmente eu não gosto deste estilo de livro, esse certamente não seria um livro que eu procuraria para ler...

    Beijos,
    Mandy

    ResponderExcluir
  10. Poxaaa, juntando a sua resenha e a que a Gabi fez da mesma autora fiquei até desanimada também. Tava super entusiasmada e com muita vontade de ler dois dos livros dela: Como Fui Esquecer Você e Love Story, mas pelo que falaram até me desanimei um pouco :/ Pode ser que o Como Fui Esquecer Você seja diferente e melhorzinho né? Mas nem vou me empolgar muito para não me decepcionar!
    Adoro YAs, mas não me sinto muito confortavel lendo sobre sexo e drogas, haha. Acho que essa não seria uma leitura para mim!

    Beijos, @flafsbp

    ResponderExcluir
  11. Não fiquei interessada no livro, parece uma leitura bem superficial.
    Bjos!

    Cida

    ResponderExcluir
  12. Também não me interessei, deve ser um pouquinho sem graça, ultimamente tô gostando de ler livros que sejam diferentes, impactantes, que tenha um mistério, algo assim. ;)

    ResponderExcluir
  13. Não li nenhum dessa escritora mas a história parece ser bem comum mas achei até que interessante o livro ! Talvez eu me arrisque a ler esse livro quem sabe eu não gosto e mas se não gosta normal . kk

    ResponderExcluir
  14. No inicio da resenha tinha mae animado com o livro, mas ao decorrer fui me desanimando, poxa pela sinopse o livro tinha tudo pra dar certo, chatiada.

    ResponderExcluir
  15. O livro não chegou a me interessar. No começo, pensei que havia tudo para ser um ótimo livro, mas depois vi o contrário!
    Mas sua resenha foi bem sincera (:

    beijos

    ResponderExcluir
  16. Percebi que as pessoas tem uma relação de amor e odio com essa escritora. Eu estou para ler o livro, não tenho muitas pretensões, torço para que pelo menos eu possa me divertir. Erros de revisão são horríveis e me desanimam.

    bjks

    ResponderExcluir