terça-feira, agosto 07, 2012

Resenha: Sorte ou azar?

. .


Sorte ou azar? (Jinx)
Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Páginas: 288
Link no Skoob:
A falta de sorte parece perseguir Jinx onde quer que ela vá - e por isso ela está tão animada com a mudança para a casa dos tios, em Nova York.  Talvez, do outro lado do país, Jinx consiga finalmente se livrar da má sorte. Ou, pelo menos, escape da confusão que provocou em sua pequena cidade natal. Mas logo ela percebe que não é apenas da má sorte que está fugindo. É de algo muito mais sinistro... Será que sua falta de sorte é, na verdade, um dom, e a profecia sob a qual ela viveu desde o dia que nasceu é a única coisa que poderá salvá-la?
ResenhaJean se considera uma menina muito azarada - motivo pelo qual recebe o apelido de Jinx, que é um sinônimo para azar. Esse azar todo causou um incidente que a obrigou a sair de Iowa, sua cidade no interior, e ir morar com seus tios e primos em Nova Iorque. Já no dia da chegada ela conhece a simpática au-pair (Petra) que cuida de seus primos menores e a turma de Tory, sua prima de mesma idade - e logo percebe que ela não é mais a menina querida com quem um dia Jean brincou. E o pior: Tory é uma bruxa – ou ao menos finge ser. E o que Jean mais quer no momento é se afastar de qualquer tipo de magia.
“O negócio é que minha sorte sempre foi um horror. Olha só o meu nome: Jean. Não Jean Marie, nem Jeanine, Jeanette ou mesmo Jeanne. Só Jean. Sabe que na França os garotos são chamados de Jean? É João em francês.” (primeiro parágrafo, pág. 9)
Para criar um pouco de romance na história, a autora investe no básico: Jean se apaixona pelo mesmo menino que Tory - e que por sua vez é apaixonado por Petra. Isso serve de gancho para que a prima fique infernizando a vida das duas o livro todo - e Jinx tentando proteger Petra e o garoto das magias que a prima cria. 

O livro é narrado em primeira pessoa por Jinx, o que o torna engraçado e traz um tom bem informal para a narrativa. Além de azarada ela é meio... inocente - no sentido de ser "a menina do interior que vem para a cidade grande". É uma narrativa bem jovem, que mistura magia, romance, colégio e intrigas básicas entre as adolescentes. Nada muito profundo, com mistérios simples de serem deduzidos, mas é uma boa distração. Leitura leve e rápida, como todo livro destinado para um público mais jovem é. Apesar de ter um número razoável de páginas, isso não deve ser levado muito em conta: os recuos laterais são grandes, assim como as letras. No final das contas, lemos muito mais rápido do que outros livros.
“Como meus feitiços de proteção – colocando moedas nos quatro cantos de um quarto ou escrevendo o nome de alguém num pedaço de papel e pondo no congelador – iriam manter alguém a salvo do tipo de peças perigosas que Tory e as amigas dela gostavam de pregar?” (pág. 152)
Recomendo: para quem gosta de livros jovens e quer uma leitura rápida e leve.

18 comentários:

  1. Não sou muito fã da Meg Cabot, mas me pareceu ser um livro bem legal. Quem sabe um dia eu leio!
    Beijos, Carol.

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca li nem mesmo um livro sequer da autora (nem sei quantas vezes já repeti isso na blogosfera rs), tinha gostado muito da capa e da sinopse do livro, mas esta não fala muita coisa da estória e eu nunca tinha lido uma resenha do livro...
    Gostei da resenha, o livro parece ser meio diferente do que pensei, mas mesmo assim parece bom. Só que diferente das outras resenhas daqui do blog, que quando terminava de ler dava vontade de sair correndo para um livraria e comprar o livro, eu achei esta legal, mas tipo nada de mais (ok, é oficial, não dá para escrever isso de forma educada :/ )...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não consegui achar muito o que falar do livro mesmo, mais um pouco entregava toda a história... e não acho que tu deva sair correndo para comprar mesmo, é legalzinho mas nada indispensável.
      Só resenhei dois dela, esse e o "Ela foi até o fim" - e gostei bem mais do outro. Se é para começar a ler Meg Cabot, te aconselho a começar pelo outro.
      Daqui a pouco leio "Liberte o meu coração" que é dela também, esse promete mais :D

      Excluir
  3. Acho que essa seria uma ótima leitura pra mim no momento: livro jovem e leve, com um pouco de romance *-* haha. Eu só não curti muito isso dai de bruxa, magia e tals :/
    O único livro que já li da Meg foi, na verdade, de seu pseudônimo Patrícia Cabot. O livro "Liberte meu coração" e adoreeeeei. Tenho muita vontade de ler mais livros dela, esse parece até um boa opção, se não fosse por esse "toque de magia" haha.
    Gostei da resenha ^^

    Beijão, @flafsbp

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Olha, não gosto muito de Meg Cabot. A única série dela que eu tenho é A Mediadora e eu ainda nem li auehae Mas li os diários da princesa, até o 3° eu acho, e detestei.
    Gostei dos quotes!
    Parabéns pela resenha,
    Beijos

    Andressa
    umdiaacadalivro.blogspot.com
    @umdiaacadalivro

    ResponderExcluir
  5. Já vi esse livro em algumas livrarias, mas nunca me interessei, mas agora qe lei a resenha me despertou um leve interesse nesta hitoria, ela me parece ser rapidinha de ler.

    ResponderExcluir
  6. Sei lá, acho que eu já estou muito velha para Meg Cabot, eu não gosto dos livros dela, acho um tanto bobinhos demais.

    ResponderExcluir
  7. bom, eu gosto de livros neste estilo, entao claro q vou querer le-lo, mas só por ser da Meg eu já teria lido ahahhaa
    adorei sua resenha, nao soltou spoiler nenhum! :D
    Beijos
    http://nolimitedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Gosto muito de Meg Cabot mas esse livro eu não gostei muito sei l[á ... pra mim o conteúdo é muito fraco ! u.u

    ResponderExcluir
  9. Sinceramente esse livro da Meg Cabot não me interessou,eu tive a impressão que ele é bem juvenil.
    A única coisa interessante da estória ao meu ver é o azar da Jinx (e a profecia)

    bjs Nati

    ResponderExcluir
  10. Tenho alguns livros da Meg aqui em casa, mas ainda não li nenhum dela.. Achei esse livro bastante interessante e espero ler ele algum dia... =/
    Gostei muito da sua resenha...

    ResponderExcluir
  11. Achei este livro bobo demais e muito juvenil!Muito fraquinho.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Sou mais uma das que ainda não leu nada de Meg Cabot ... acho que passei um pouquinho da idade ... rsrs não, não tenho preconceito literário algum, mas ainda não me empolguei com um livro dela a ponto de ler.

    ResponderExcluir
  13. Nunca li nada da Meg Cabot, comprei o primeiro livro dela agora, aos 21 anos :) mas um dia pretendo comprar mais livros dela! Mesmo que seja para uma leitura de passagem. O enredo do livro parece interessante, bem diferente.

    ResponderExcluir
  14. Eu não consigo gostar da Meg, não adianta. Li dois livros dela e não colou, sabe, Tami? Sem contar que a capa desse livro é estranha :2
    Gislaine,
    jeito-inedito.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Eu acho essa capa legalzinha. Bem simples :)
    Apesar de me parecer ser uma estória leve e para distração, parece ser boa. Eu gosto de livros leves.
    Ótima resenha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Parabéns pela resenha! Gosto do tema abordado no livro: magia. Aparenta ser de fato, uma leitura bem juvenil, e leve. Na realidade, em relação as opiniões que leio a respeito da Cabot... Os livros, de forma generalizada, são todos assim. Um dia pretendo voltar uma atenção especial à Meg, e tirar conclusões a respeito da escrita da autora.

    ResponderExcluir
  17. Adoro os livros da meg cabot...
    Ainda não li esse!!!
    Mas sua resenha me deixou bastante curiosa....

    ResponderExcluir