terça-feira, junho 26, 2012

Resenha: Um dia depois do outro

. .


Um dia depois do outro (Making Toast)
Autor: Roger Rosenblatt
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 132
Link no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/212902
Sinopse: O livro conta a história de Roger Rosenblatt e sua mulher Ginny após a morte da filha Amy - uma talentosa médica, mãe e esposa. O casal deixa a casa na Margem Sul de Long Island para morar com o genro Harris e os três netos. Ambos buscam se readaptar ao mundo das crianças pequenas - histórias de ninar, brinquedos falantes, amiguinhos, perguntas incessantes e raciocínio não sequencial. Nesta obra Roger remove as camadas dessa perda e busca prestar uma homenagem à filha falecida por meio de um testemunho de amor familiar
Resenha: Quando pedi o livro pela parceria com a editora, imaginava um livro que me faria derramar lágrimas, envolvendo de forma romântica uma história triste de perda ou algo do gênero. Me surpreendi quando vi que o livro não seria assim.
"O truque, quando se procura um dente perdido na borra do café, é não se deixar iludir pelas bolotas. A única maneira de ter certeza é desmanchando cada bolota entre o polegar e o indicador, o que deixa as mãos imundas. Esta manhã Ginny e eu caçamos, durante uns vinte minutos, na lixeira da cozinha, o dente superior esquerdo frontal da nossa neta de sete anos, Jessica." (pág. 7, parte do primeiro parágrafo)
Roger conta como a sua vida e a de sua família se modificou após a morte de sua filha Amy. Para começar, ele se muda junto com a mulher (Ginny) para a casa de Harris, seu genro, para ajudar a cuidar dos seus três netos: Jessica, de sete anos, Sammy, de cinco, e James, de um ano e oito meses. A narrativa não é contada de forma romanceada, mas em formato de pequenas histórias/crônicas sobre coisas em geral que aconteciam em alguns dias da família.
"- Boppo! - diz Sammy prestes a me apresentar ao colega que apareceu para brincar com ele. - Este é o Cameron! Ele é chinês! Ele come insetos!Cameron sorri e assente com a cabeça.- E abelhas! - acrescenta Sammy. - Primeiro ele mata, depois come!"
Acompanhamos algumas situações sensíveis enquanto vemos o amadurecimento e compreensão de todos sobre o que aconteceu. A história não segue uma linha única, intercalando momentos do passado (com Amy ainda viva, as vezes até histórias dela quando criança) e fatos do presente. Porém o livro realmente se foca mais no pós, retratando como as pessoas lidaram com essa situação. 

As narrativas da relação com o autor com os netos são, em grande parte, engraçadas. Nada mais são do que histórias de crianças, que a gente pode facilmente relacionar ou enxergar alguma conhecida nossa fazendo as mesmas coisas, e é isso que torna elas cômicas. Ao mesmo tempo o livro traz partes muito sensíveis, mostrando como as crianças sentem falta da mãe e o choque  que sua morte trouxe para elas.

As partes em que Amy aparece ou é citada são as mais tristes. Gostaria que tivesse um pouco mais sobre ela no livro. Sei que o foco do autor foi o depois,  mas confesso que a história sobre a pessoa que morreu (nesse e em qualquer outro livro) sempre me emociona mais.

É um livro fácil de ler, rápido e de linguagem tranquila. Não tem grandes lições, suspenses ou um final impactante, apenas mostra a vida como ela é. Como não tem uma narrativa linear, podemos passar algum tempo sem ler e voltar a ele sem problema - ótimo para ter na bolsa e ler naqueles momentos de espera. 

Recomendo: para quem gosta desse estilo de narrativa, quer uma leitura tranquila, e gostou de livros como "A lição final".

"Desejei para ela o prazer de uma conversa espirituosa com um estranho e momentos de alegria incontrolável. Desejei-lhe uma vida num lugar onde fosse possível ver uma nesga de céu. O ensaio termina com a promessa de jamais deixá-la afastar-se de mim." (pág. 66)
Gostaram da resenha? Aproveitem para participar da promoção deste livro! Já está acabando, é só até o dia 30! Promoção "Um dia depois do outro"

6 comentários:

  1. Awww!!! Adoro livros assim... que fazem a gente pensar sabe? na vida, em tudo. A capa tbm é linda, mais um pra minha listinha!!!!

    Bjos^^

    ResponderExcluir
  2. que legal,tambem pensei que seria um romance,ou algo do tipo, mas gostei da história,a capa é super familia e quero ler esse livro! gostei dos quotes que vs separou e amei sua resenha ! bjs linds :)

    ResponderExcluir
  3. Nossa eu vi a capa e logo pensei "romance" ! É nunca jugue um livro pela capa né ? kkkk otima resenha ! Mas livro triste assim eu não curto !

    ResponderExcluir
  4. Realmente a sinopse não me chamou a atenção, e o que você descreveu como "não linear" foi o que me deixou curiosa. Acho que nunca consegui largar um livro por dias, ler outros e depois voltar a ele sem ter esquecido tudo. Sempre que pego um livro, preciso ir até o fim. Então, isso me deixou curiosa, tentada a provar se posso ler assim ou não, haha! =D
    E eu acho que li esse livro "A lição final" ou algo do gênero e com nome parecido. Só sei que gostei muito.

    Ótima resenha, parabéns!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Gostei bastante da temática do livro. Eu nunca perdi alguém próximo, então não sei como seria lidar com isso, mas esses livros acabam nos dando uma noção de que podemos enfrentar esse tipo de situação com bom humor e superá-las. É legal ele ser escrito em forma de crônicas, a leitura desse tipo de assunto, que é pesado, pode fluir melhor.

    Adorei a resenha
    Beijos
    Bruna Reis
    http://desbravandohistorias.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Achei até legal esse tema, mas não me chamou atenção o livro... Também gosto de saber um poco mais do morto quando tem uma estória do tipo, tipo a Bailey em O Céu Está em Todo Lugar, fiquei com tanta vocntade de saber mais sobre ela!

    ResponderExcluir