terça-feira, maio 01, 2012

Resenha: Prezados Ouvintes

. .


Prezados Ouvintes - Histórias do rádio e do Pop Rock
Autor: Mauro Borba
Editora: Artes e Ofícios
Páginas: 144
Link no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/9992
Sinopse: Produzido numa linguagem coloquial, leve, sedutora, este conjunto de irresistíveis memórias e comentários do autor traz um passado recente que cheira a presente. Tudo é contemporâneo, tudo é ágil, tudo é inquietante e contagia. A voz que brota e embala desde os microfones e educa nosso ouvido e nossa alma é a mesma voz agora impressa nessas páginas. Temos memória (há inúmeras fotos a ilustrar esse convidativo registro, com gente que fez história no rádio, na cidade, no imaginário) e temos presença. A palavra virou música, contágio, e é de todos. 

Resenha: Esse livro é um pouco diferente dos que costumo resenhar aqui. Ele não é um livro de uma narrativa com começo, meio e fim. Ao mesmo tempo também não considero um livro de crônicas. A melhor definição que encontrei para ele, é que é um livro de histórias. Histórias da rádio e do pop rock gaúcho, basicamente. Ele foi escrito por um radialista bem conhecido aqui do RS, o Mauro Borba, e nos traz um pouco da história do início das rádios FM e bandas de rock brasileiro. 

O livro é dividido em quatro partes: "As rádios", "O rádio, os músicos e as bandas", "Histórias curiosas" e "Programas da Pop Rock". Todas elas tem um formato parecido, com pequenas histórias que não duram mais que algumas páginas. Porém prefiro comentar essas partes separadamente porque, apesar disso, cada uma tem suas características.

As rádios trata basicamente da história do Mauro Borba versus o nascimento de algumas rádios aqui em Porto Alegre. Quem não conhece a cidade certamente deve ficar meio perdido em relação aos lugares e acontecimentos descritos daqui. Vários pontos famosos são citados de forma corriqueira, e quem não conhece irá perder certos detalhes. Apesar disso, nos mostra informações muito interessante para conhecer como funcionam as rádios - para pessoas como eu, que não conhecem nada.

O rádio, os músicos e as bandas já tem um assunto mais abrangente. Mostra uma parte da história de bandas e cantores gaúchos e nacionais, entre eles: Nenhum de Nós, Engenheiros do Hawaii, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso, entre outros. Confesso que me perdi um pouco em algumas histórias pois meu conhecimento sobre rock dos anos 80 é péssimo.  Porém isso não me impediu de me divertir bastante lendo casos que aconteceram por aqui, e quando "reconhecia" o artista que estava sendo citado a história se tornava ainda mais legal.

Histórias curiosas acho que foi a minha parte preferida. São pequenos "casos" que aconteceram com o autor durante esses vários anos de radialismo. Desde contos de ouvintes, passando pelo radialista que precisava ir no banheiro e não podia sair do ar, ele traz histórias engraçadas sobre o que acontece nos bastidores daquele mundo de rádio. Tenho certeza de que as histórias se repetem por todo o Brasil. 
"O sono provoca alguns casos curiosos nas madrugadas. No tempo do vinil era comum o operador dormir, o disco rodar inteiro e ficar durante vários minutos, se é que não foram horas, aquele ruído da agulha trancando no selo do disco" (pág. 93)
Programas da Pop Rock é a parte mais local do livro. Contando como alguns programas da Pop Rock nasceram e o que (ou quem) estava por trás da criação dos mesmos, certamente vai deixar algumas pessoas, que não são daqui, boiando. Não que seja difícil de entender - nenhuma parte do livro é - mas simplesmente não deve ter muita graça para quem não conhece a rádio. O final dessa parte conta um pouco sobre o Cafézinho, e tenho certeza que o pessoal de fora não vai conseguir entender o porque desse programa ser tão querido no rádio. Ouvi durante muitos e muitos anos, era parada obrigatória depois do almoço. O programa mudou a formação original de lá para cá, e acabei parando de ouvir (não sei se porque o programa mudou, ou se eu que mudei). Acho que foi o único programa de radialismo - sem música - que ouvi regularmente durante muito tempo. Acreditem, era bem legal.

Um "problema" do livro é que a edição dele é antiga (2001), então as histórias param nesse ano. Seria bom ter uma nova edição que pudesse incluir os fatos acontecidos nesses últimos 11 anos de história da rádio. 

A linguagem do livro? Super coloquial. É quase como se estivéssemos ouvindo uma pessoa nos contar uma história. Os casos narrados são pequenos - duas páginas se muito - o que o torna bom para ler de forma tranquila. Como as histórias não tem muita ligação entre si, pode-se ler aos poucos.

Em resumo, é um livro para aprender. Aprender um pouco mais sobre a história da nossa cultura musical. Como falei, não sou muito ligada no rock dos anos 80, então algumas partes me passaram um pouco batidas. Mesmo assim achei o livro interessante. Quem for meio por fora do assunto tenho certeza de que irá aprender algumas coisas - mas também ficará meio por fora em outras partes - assim como fiquei. O livro conta as histórias de forma descontraída, e não querendo nos "ensinar" quem são os envolvidos ou porque eles estão ali - simplesmente conta. Quem conhece um pouco mais da época, aposto que irá adorar o livro. Em especial, é um livro para quem gosta dos anos 80 - e de música.

Recomendo: para quem gosta da história da música e do radialismo, para conhecer um pouco Porto Alegre "das antigas" ou simplesmente para se distrair.
"... não consegui nada em rádio em Porto Alegre e então fui trabalhar no Banrisul para custear o curso de Comunicação na Unisinos, porque, como diz a letra do samba do Marinho da Vila, "felicidade, passei no vestibular, mas a faculdade, é particular" " (pág. 14)

9 comentários:

  1. Parece ser um baita livro. Com certeza será um livro que irei ler.

    ResponderExcluir
  2. Aparenta ser um livro bem legal. E concordo com o seu 'recomendo'. Pelos dois trechos das páginas 14 e 93, parece-me que é o autor que conta a estória. Talvez não seja mas ele disse "... não consegui nada em rádio em Porto Alegre e então fui trabalhar no Banrisul...". Enfim, para quem gosta, deve ser um livro interessantíssimo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ai que legal, esse livro tem tudo a ver com a àrea que estudo. Dica ótima!

    ResponderExcluir
  4. Parece ser um ótimo livro, adorei os trechos retirados e como eu gosto bastante de rock seria muito legal o ler! E como não sou do sul é realmente provável que eu fique boiando, como você disse, em certas partes que não tem descrição, mas para tudo nessa vida existe o santo Google!
    Sério, eu adorei a sua resenha, fiquei doidinha para ler o livro!
    Beijos Tami, Ana - Chiado Carioca

    ResponderExcluir
  5. Já ouvi falar no livro... acho que foi na própria rádio Pop Rock onde o Mauro Borba é locutor (sempre estou ouvindo essa rádio kkk) achei até legal a ideia do livro, mas não me interessei em lê-lo, é um livro para quem realmente gosta de saber da história do rádio! >.<

    ResponderExcluir
  6. Uau, eu sonho em ser realista, adoro ouvir as histórias dos locutores daqui, sempre que posso to ouvindo rádio e achei fascinante a sua resenha, preciso desse livro apesar de que como você falou que tem gente que pode não entender muito bem certas partes por causa dos lugares que são falados e eu nunca tendo ido pra ai acho que vou "boiar" as vezes, mas não custa tentar ler e procurar esses lugares na internet não é mesmo? Estou muito curiosa agora
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Um acho que não leria esse livro não gostei muito não,a capa não me chamou atenção.Não sei mas no momento ele não faz muito meu estilo de leitura e olha que eu sou bem ecletica quanto a isso :)

    ResponderExcluir
  8. rock ?não gostei mt.....a capa é até legalzinha , criativa rs

    ResponderExcluir