quarta-feira, março 21, 2012

Filme: A invenção de Hugo Cabret

. .


Título Original: Hugo
Estreia nos Estados Unidos: 23 de Novembro de 2011
Estreia no Brasil: 17 de Fevereiro de 2012
Sinopse: Hugo é um garoto de 12 anos que vive em uma estação de trem em Paris no começo do século 20. Seu pai, um relojoeiro que trabalhava em um museu, morre momentos depois de mostrar a Hugo a sua última descoberta: um androide, sentado numa escrivaninha, com uma caneta na mão, aguardando para escrever uma importante mensagem. O problema é que o menino não consegue ligar o robô, nem resolver o mistério. 

Opinião: Baseado no livro homônimo, lançado no Brasil em 2007 pela editora Edições SM, Hugo Cabret é um filme inocente, mágico. Um visual lindo, mesmo que quase todo o filme se passe dentro de uma estação de trem - lugar onde Hugo vive escondido. Algumas paisagens panorâmicas de Paris dão um toque especial na filmagem.

Não pude deixar de sentir uma certa semelhança com "IA - Inteligência Artificial", com toda a sua inocência e momentos delicados - até mesmo Jude Law está lá. A busca pela humanidade, de uma forma ou de outra, é o que move essas histórias. Hugo passa sua vida tentando consertar um boneco de metal, a única recordação que tem de seu pai. Ele crê que o pai lhe deixou uma mensagem, e que no momento em que o boneco funcionar ele conseguirá entender, ter um sentido maior para a vida.

O filme traz muito a história do cinema, trazendo filmes clássicos e representando de forma muito interessante algumas cenas "de época" do início do cinema. A questão de preservação de filmes antigos também é tratada no filme, de forma mais superficial.

Apesar de ter ouvido elogios ao 3D do filme, acabei vendo na versão normal mesmo (alguns 3D tem me deixado com uma leve dor de cabeça no final...) então não posso falar sobre a qualidade dele nesse sentido. Em relação à história em si, pelo trailer o filme parece ter muito mais aventura do que realmente tem. A maior parte dele é um pouco parada. Engloba alguns  tons leves de comédia, itens sutis - nada que faça gargalhar.

Uma coisa que não gostei no filme foi a menina Isabelle (Chloe Moretz). Não sei se foi a atuação ou se a personagem realmente deveria ser assim, mas achei muitas cenas com emoções forçadas - coisa que não cheguei a sentir com o menino que interpreta Hugo (Asa Butterfield).

A melhor indicação que tenho para dar é: se você gostou de Inteligência Artificial, vá ver o filme. Se não gostou, não vá. Nunca senti tanta identificação entre dois filmes quanto senti com esses - mesmo uma história não sendo igual a outra.


Trailer

2 comentários:

  1. Hm, eu nunca assisti Inteligência Artificial, então não tenho nada pra comparar direito. Mas gostei do fato de a história de passar no século 20, e que representa um pouco de "cenas de época", porque eu adoro isso, haha.
    Não sei se é um filme que eu me empolgaria assistindo, creio que não; mas parece ser um pouco "emocionante" por causa do garotinho e talz. Gostei da resenha ^^

    Beijão,
    @flafsbp
    { http://17ezesseteinvernos.blogspot.com/ }

    ResponderExcluir
  2. Nossa, ainda bem que li sua crítica!Odiei Inteligência Artificial(achei péssimo).Realmente,quando assisti a trailer pensei que fosse um filme mais de aventura.

    Fabianne

    ResponderExcluir