quinta-feira, janeiro 26, 2012

Violência sexual: de quem é a culpa?

. .


"Mulheres não são estupradas porque elas estão:
bebendo ou usando drogas,
se  vestido provocativamente,
sendo imprudentes.
Mulheres são estupradas porque alguém as estuprou"
Início de 2011. Texas/EUA. 18 homens estupram uma menina de 11 anos. Alguns filmam e depois ainda mostram para alguns colegas na escola. Um tempo depois, sai uma matéria sobre o caso no The New York Times. O que eles escrevem?

"Esses meninos terão que viver com isso pelo resto de suas vidas."

"Eles dizem que ela se vestia como mais velha do que sua idade, usando maquiagens e roupas mais apropriadas para uma mulher com 20 anos."

"Onde estava sua mãe? O que sua mãe estava pensando?"

Está achando absurdo? Pois essa é a realidade de muitas vítimas de estupro. Por algum motivo completamente bizarro as vítimas se tornam as culpadas. No Brasil, nos Estados Unidos e em qualquer outro lugar do mundo.

Violência sexual é um tema muito polêmico e delicado que vinha tentando tratar já há algum tempo. Esses dias voltou à tona novamente com todo o caso que aconteceu no BBB. E que já foi esquecido. Mas não vim comentar sobre esse caso em específico. Na verdade, duas coisas em especial vinham me inspirando a escrever sobre isso anteriormente:

1. Em uma palestra sobre segurança em uma faculdade no Canadá, um policial sugeriu que as mulheres deveriam "evitar se vestir como vagabundas para não serem vítimas de abuso sexual ou estupro". Essa declaração revoltou muitas mulheres, que deram origem a SlutWalk (ou "Marcha das Vadias", como vem sendo traduzido).
2. O clipe "Man Down" da Rihanna (que não fez tanto sucesso aqui como outros dela). No "mini filme" ela conta a história de uma menina que se "revolta" contra o seu violentador.
 

O clipe teve uma repercussão não muito boa na verdade. Muitos especialistas (afinal, sempre são especialistas que comentam) disseram que isso poderia incitar uma violência muito pior, incentivando as pessoas a irem matar as outras. 
Não vejo o clipe dessa forma. Vejo ele como uma simples demonstração do que todas as vítimas tem o desejo de fazer. Vejo isso como uma metáfora do que a vítima precisa fazer para conseguir se sentir minimamente livre depois do acontecido, uma metáfora para tentar apagar o que aconteceu. Um ato de desespero. Mas cada um com suas conclusões.

Como já falei, é um tema bem complicado de escrever. De qualquer forma, tem alguns pontos fundamentais que gostaria de ressaltar.

- Roupa comprida ou curta é uma questão de cultura. Uma roupa "comprida" aqui pode ser completamente obscena em outro país. E vice-versa. Se pegar como exemplo a cultura de um povo indígena, muitos ainda andam nus. E não são violentados por isso.

- Falando de cultura, no Brasil temos um limite do tamanho de roupas. Se uma pessoa sair pelada pela rua de uma cidade, pode ser enquadrada por atentado ao pudor. Isso é lei.

- Eu, pessoa, pensar que uma atitude ou uma roupa é vulgar é uma coisa. Eu, pessoa, sair atacando alguém por causa disso: não pode. Cada um tem o direito de agir ou se vestir como acha que deve (dentro das leis que regem o país dessa pessoa).

- Até uma prostituta tem o direito de dizer não para alguém. Não é porque ela está "em serviço" ou "se oferecendo" que ela pode ser estuprada ou é obrigada a aceitar qualquer cliente. Esse foi um dos ponto bem lembrados pelo  Tico Santa Cruz em seu texto sobre estupro.

- Roupas, atitudes, bebida, qualquer outra desculpa. Nada, absolutamente nada, é justificativa. "A mulher perde o controle e o homem não pode?" Perder o controle é dar em cima de alguém? Perder o controle é perceber que está fazendo uma besteira e desistir? Desculpa, isso não é perder o controle. Perder o controle é forçar alguém a fazer o que não quer. Está vendo que uma garota está meio fora de si, fazendo coisas que pode se arrepender? Não dê corda. Simples.

- As mulheres estão muito atiradas, usando cada vez roupas menores, tentando ser como homens? Direito delas. Assim como é direito do homem também. E ninguém pode ser violentado por isso. 


- Aliás, acho que algumas mulheres passaram tanto tempo tentando ser como homens que conseguiram absorver inclusive os defeitos. O machismo que vemos saindo da boca de algumas mulheres é impressionante. Não deveríamos tentar nos ajudar ao invés de sempre criticar a outra?

- Acho certo a mulher beber até cair, fazer concurso da mini saia mais curta, ficar com 50 numa noite? Eu não. Mas, novamente, se alguma quiser fazer é problema dela, não meu. É a vida dela, não a minha. Se ela escolheu ser assim e eu não, são apenas escolhas. Ambas devem se respeitar e serem respeitadas por suas escolhas. 

- "Queria ver se fosse um homem sendo estuprado". Esse é um outro grande problema da sociedade. Um homem ser estuprado por uma ou mais mulheres vai acabar se tornando motivo de piada se "reclamar". Vão perguntar porque não aproveitou, se tá reclamando, que seria "o sonho de qualquer um". Será que ninguém consegue ver o absurdo disso também?

- Grande parte dos casos de estupro acontecem por pessoas conhecidas. Por familiares, as vezes até mesmo os pais. Sinceramente, é uma brutalidade tão grande, tão absurda, que nem tenho como comentar.

O que concluir disso tudo? Que ainda agimos muito mais como animais do que como seres racionais. Talvez a nossa espécie ainda esteja muito longe de uma evolução completa. Apenas isso.

Li alguns textos bons e que me inspiraram, caso interesse aqui estão: 
Blog do Tico Santa Cruz (não consegui achar o link direto, o título do texto é  "Estupro ao vivo na TV?")

Um comentário:

  1. Nossa, assunto realmente polemico. Acho idiota um homem estuprar e dizer que ela pediu por usar uma roupa curta, o caso lá dos garotos fazer aquilo com uma garota e dizer que foi culpa dela (quantos anos eles tinham afinal, porque além de ser estupro é pedofilia). Não imagina só como a vítima deve se sentir, não basta ter que viver tentando esquecer, vão ainda sofrer porque as pessoas colocam culpa nelas! Como no o caso da líder de torcida, além de ter sido violentada, é exilada dos colegas e depois tem que pagar 45 mil de multa!! O que todas as pessoas deveriam entender é que coisas que causam um estupro não é bebida, não é andar sozinha e não é vestir roupas curtas, a única coisa que causa o estupro é o estuprador, até porque antes de mulheres beberem até cair ou vestir roupas curtas já existia estupro.

    E nossa, eu fiz um texto quando devia fazer um comentário, medo.

    ResponderExcluir