quarta-feira, janeiro 25, 2012

Filme: Precisamos falar sobre o Kevin

. .


Título Original: We need to talk about Kevin
Estreia nos Estados Unidos: 09 de Dezembro de 2011
Estreia no Brasil: 27 de Janeiro de 2012


Sinopse: Eva (Tilda Swinton) é mãe de Kevin (Ezra Miller), adolescente que cometeu assassinato em massa em sua escola. Sem conseguir entender as ações do filho, ela tenta lidar com sua dor e o sentimento de culpa, por se sentir responsável pelo fato.

Opinião: Precisamos falar sobre o Kevin ainda não estreiou oficialmente, mas já tem várias sessões de pré-estreia por aí. Inclusive, teve nessas últimas duas semanas aqui. Como estava super curiosa para ver como a adaptação tinha ficado, fui correndo ver.


Vou tentar ao máximo não comparar com o livro (na verdade, quero fazer isso em um outro post), então vou tentar me concentrar apenas na história do filme e ignorar as diferenças.


O início do filme intercala as cenas atuais com as cenas passadas que Eva,  mãe de Kevin, vive ou presenciou. Para quem não conhece a história, podem ser alguns minutos meio confusos.


Tem abundância de uso de coisas vermelhas. Tudo que é possível aponta para essa cor - inclusive o cartaz do filme. Faz sentido, mas até achei um pouco demais.

Kevin, no filme, em muitos momentos parece um menino birrento e mimado. À medida que vai crescendo tomamos melhor conhecimento da sua personalidade mais "fria". 
Uma coisa que definitivamente não gostei (spoiler insignificante), mas que pelo jeito é mania nos filmes, é uma cena em que o Kevin (ainda pequeno) está jogando videogame e fica falando "morre, morre, morre" para o personagem. Por que eles sempre tem que tentar mostrar que o videogame pode ser uma influência da personalidade da criança? Essa parte achei bem desnecessária.


Outra coisa que achei um pouco, digamos, estranha, foi a escolha da trilha sonora. Alguns dos momentos mais tensos do filme tem uma música bem animada de fundo (a música inicial do trailer, por exemplo). Ok, isso é proposital para fazer um contraste. Mas, não sei, prefiro ainda que as cenas "combinem", e não que contrastem. É uma história pesada, e deveria ser assim. Talvez um crítico de cinema tenha a visão bem diferente da minha nesse sentido.

Como todos comentam, a atuação de Tilda Swinton está perfeita. Uma pena o filme não ter recebido nenhuma indicação ao Oscar. Os meninos que fazem o Kevin também estão muito bem. 

Apesar de tentar evitar comparar o livro com o filme, uma coisa importante senti falta. No filme as cartas escritas por Eva não são nem mencionadas. E olha que isso é a base do livro. Acho que seria mais legal se seguissem a mesma cronologia do livro.

Sei que a minha opinião parece bem crítica mas o filme é bom. A história é boa, as atuações são boas. É um filme relativamente tenso, mas não chega a ser de suspense. Gera algumas boas discussões também. Minhas críticas são todas porque já tinha lido (e amado) o livro, e  - por mais que tente - é meio difícil desvincular os dois na hora de formar uma opinião. Mas é bem bom, vale a pena ir ver!


Trailer





Comentou? Preencha o formulário do Top Comentarista.

2 comentários:

  1. Bem, acho que vou ver o filme primeiro para depois ler o livro Tami, só para não me decepcionar com a adaptação rs, mas normalmente o livro é melhor que o filme, acho que é porque não precisamos gastar dinheiro para imaginar o livro todo, então não temos que cortar partes (e de sobra imaginamos do jeito que queremos).
    Beijos ;)

    chiadocarioca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Pretendo ler o livro primeiro,pois tenho receio que o filme faça diminuir meu interesse pelo livro ou que eu forme uma imagem muito forte do filme e não consiga ler o livro sem pensar no filme.Confesso que estou curiosa para assistir a atuação de Tilda Swinton.

    Fabianne

    ResponderExcluir