quinta-feira, novembro 10, 2011

Internet aproximando gostos e culturas

. .


Falar das coisas boas e ruins da internet já virou algo meio clichê, mas não posso evitar. Na verdade hoje só vim falar das boas.
Sou uma pessoa que adora colecionar, desde pequena. Até já falei sobre isso aqui no blog. O que nunca expliquei foi como a internet me ajudou nisso.

Não lembro quanto tempo faz, comecei a trocar livros pela internet. Achei fantástico! Liberava minha estante de livros já lidos para abrir espaço para livros novos - novos para mim ao menos. Tudo isso por um preço super tranquilo, já que os Correios tem uma modalidade especialmente para isso: envio de livros (e periódicos) por um preço baixo. Foi - e continua sendo - uma das melhores formas que conheço de sempre ter coisas novas para ler.

Na última Copa, virou febre colecionar o álbum de figurinhas. Fazia alguns anos que não fazia isso e aproveitei para "reviver" a época, inclusive desenterrando alguns álbuns antigos que tinha em casa e comprando uns bonitinhos que vi. Conheci muita gente que colecionava esse álbum, mas e os outros? Será que nunca ia conseguir completar as minhas coleções? Até que, na época, encontrei o site Troca Figurinhas. Perfeito! Cadastro e controle de todos os meus álbuns e figurinhas, pessoas de todo o Brasil para trocar! Pessoas com figurinhas do meu álbum incompleto de 1994 do Rei Leão! Com essas trocas acabei conhecendo, além das pessoas, mais um serviço dos Correios, a carta social, que foi muito usada para trocas pequenas (já que tem o limite de 10g).


Minha última coleção é de marcadores. E isso me levou para um patamar de trocas completamente novo. Primeiro porque não sabia que existiam tantas pessoas que colecionassem. Segundo porque é de graça. É a primeira coleção que tenho que só preciso comprar um item se quiser, porque se encontra de graça em qualquer lugar.
O mais importante dessa coleção: as pessoas. Comecei trocando num grupo do Skoob, com pessoas de todo o Brasil. Um tempo depois, encontrei o site Mirage Bookmark que tem listas de pessoas de todo o mundo que trocam marcadores. Marcadores é algo completamente universal.

Não fazem dois meses que comecei a colecionar. E graças a isso já conversei com pessoas de todos os cantos do Brasil, dos Estados Unidos, da Espanha, da Rússia, da Turquia, e por aí vai.
No momento em que comecei a conversar com uma menina da Turquia me dei conta de que sabia ZERO sobre o país. Sobre a cultura. Sobre o clima. Sobre qualquer coisa. Tem melhor aula de história do que aprender sobre outro país conversando diretamente com alguém de lá - e que também não sabe muito sobre o teu país? 

Se esse tipo de coisa fosse incentivada como um "intercâmbio virtual" entre escolas de todo o mundo, seria a melhor aula de história possível. Ou de geografia, de linguas, de convivência, de quebra de preconceitos. Na internet não existe cor, não existe forma, o que é maravilhoso. Claro que tem os seus problemas, seus perigos. Mas as pessoas "ruins" da internet são as mesmas que estão aí fora. As boas também.

0 comentários:

Postar um comentário