sexta-feira, novembro 25, 2011

Entrevista com o autor: Pamela Chris

. .




Hoje iniciamos mais uma seção do blog, que espero que dure bastante tempo! A seção é "Entrevista com o autor". 

Vamos começar entrevistando a Pamela Chris, escritora do livro "O reino de Milian".

Para quem quiser saber mais sobre o livro, pode acessar o site oficial. Lá vocês podem inclusive ler o primeiro capítulo!
E se gostar, marca lá no Skoob:

Vamos a entrevista?

Quem é a Pamela? 
Nasci em 30 de dezembro de 1992 e sempre morei na cidade de Itaguaí, no Rio de Janeiro. Desde pequena minha paixão foi ler, e o fazia sempre que surgia a oportunidade. Seja pegando livros em bibliotecas, seja pedindo emprestado. Escrevo livros desde os doze anos, mas me empenhei em publicar aos quinze.

Como surgiu a motivação para escrever o livro?
Escrever, escrever, surgiu mais como uma brincadeira mesmo, rsrsrs. Eu e umas amigas, apaixonadas por leitura, pensamos em escrever um livro. Duas começaram a escrever um juntas, eu comecei sozinha, mas sempre trocando ideias. O meu primeiro livro eu perdi, mas nem liguei muito. Não estava legal, porque eu era ainda muito jovem e não entendia muito sobre isso. Como eu nunca parei de escrever, comecei com "O Reino de Milian". Motivação mesmo para escrever, em geral, acho que tive dessas minhas amigas. Sem elas eu nunca teria nem pensado na possibilidade. E para continuar escrevendo foi graças a um poeta que eu conheci. Me admirei em saber que ele tinha um livro publicado, e que eu também poderia publicar um.

Quanto tempo levou entre ter a ideia e finalizar a história?
Essa é uma boa pergunta. Acho qua a ideia surgiu por volta de 2006 (caramba, muito tempo, nem tinha parado para pensar), quando eu tinha treze anos. Pelo menos a ideia surgiu por aí. Agora, começar a escrever já é mais complicado: foi em 2007. Mas quando eu estava no final do livro, meu computador quebrou e eu fiquei meses longe do teclado. O computador não voltava, meus dedos formigavam, e eu comecei a reescrever no computador da minha tia (ela mora nos fundos da minha casa). Por um lado foi bom, porque a história ficou bem melhor do que a primeira versão. Como houve muitos contratempos (ensimo médio em escola técnica requer tempo para fazer os inúmeros trabalhos) acabei de escrever o Reino de Milian em 2009, e isso porque comecei a pensar em publicação e tornar meu trabalho mais do que um hobbie. Se for pensar pela ideia, os livros levam muito tempo mesmo para serem escritos. Mas desde que eu pus no papel levei um pouco mais de um ano. Hoje em dia, graças a Deus, sou bem mais rápida.

Algum motivo especial para ser um livro de fantasia?
Talvez porque eu seja uma leitora ávida desse gênero, ou por causa da minha inspiração para o livro.

Qual foi a inspiração para criar a história? 
Para essa pergunta eu não tenha dúvidas: As Crônicas de Nárnia. Eu acabei de ler a série quando comecei a imaginar como seria um Reino em guerra, e como seria cumprir uma missão para trazer paz a esse Reino. À partir daí eu comecei a montar "O Reino de Milian".


De onde surgiu o nome "Milian" para o reino?
Foi algo bem aleatório msm. Fiquei pensando em nomes que poderiam soar legal, e esse simplesmente surgiu.

Algum personagem inspirado em ti ou em pessoas próximas?
Acho que não. A personagem principal, Ana, é perfeita demais para ser baseada num humano comum, rsrsrs.

Quais as vantagens e desvantagens de ser uma escritora nova?
Acho que vantagem é a expectativa, o sabor da nova experiência. É gostoso quando as pessoas ficam impressionadas quando você diz "sou escritora". Por outro lado a grande desvantagem é não ser tão conhecida, mas isso muda com o tempo.

Tem planos futuros de continuar escrevendo?
Com certeza! Escrever é minha paixão. Terminei de escrever dois livros, estou finalizando um terceiro e muitas ideias pipocam na minha cabeça. Pretendo pôr todas elas no papel (ou no word, rsrsrs). O próximo livro que pretendo publicar se chama Angel, e fala bastante sobre profecia, que eu adoro.



Algum recado para os leitores?
Apenas que eles valorizem mais os autores nacionais. Antes de entrar para esse mundo eu não lia muito livros brasileiros porque não acreditava que houvessem escritores de fantasia. Agora vejo que não só existem escritores desse gênero, como também terror, suspense, romance... Ou seja, também temos bons livros. Só precisamos dar mais crédito a eles.




O que acharam da entrevista? Se tiverem sugestões para as próximas, é só deixar nos comentários ou enviar um email para gavetaabandonada@gmail.com

Um comentário:

  1. Amei a entrevista ele parece se ruma fofa ♥
    Amei o nome da personagem.
    beijos

    ResponderExcluir