quinta-feira, novembro 17, 2011

É muito difícil ajudar?

. .


O que exatamente significa "fazer a minha parte"? Não jogar lixo nas ruas, separar o seco do orgânico em casa, ser educado com as pessoas, não enganar, cuidar bem dos filhos?
Não acho que isso seja "fazer alguma parte". Essas atitudes nada mais são do que o básico da educação, a obrigação de todos (mesmo que nem todos cumpram).

Fazer a nossa parte significa fazer algo além da obrigação. Ajudar alguém de forma despretensiosa, tentar criar um mundo melhor. 

Ajudar todo mundo quer. Não conheço uma pessoa que não ache bonito um trabalho de voluntariado, por exemplo. Que diga que gostaria de poder fazer algo, mas que infelizmente não tem tempo.

Todo mundo sabe que a gente tem tempo para as coisas que coloca como prioridade. Se a pessoa aumentasse um pouquinho a prioridade para ajudar os outros, teria tempo. Por mais trabalho, estudo e família que tenha.

Mas tudo bem, quem se acha muito ocupado não vai acreditar no que falei. Então, para essas pessoas, vou dar alguns exemplos simples de coisas que podem ser feitas, e que não levam mais que CINCO minutos por dia.


Clique Alimentos


O Clique Alimentos é uma iniciativa do RS. Com apenas UM clique, você escolhe uma cidade para receber 1 kg de alimento. Não precisa de cadastro, não precisa ser do RS, não precisa nada. É só clicar e escolher que empresa vai doar e para onde. Ah, e isso pode ser feito a cada 15 minutos.

A Nota é Minha

Outra iniciativa do RS, não sei se existe similar em outros estados (se existir, avisem nos comentários que atualizo aqui).
A proposta é super simples: doe suas notinhas fiscais. Pronto. As doações de notinhas podem ser feitas para qualquer instituição que arrecade (e aqui no RS são milhares).
A cada 30 notinhas doadas, você ainda recebe um cupom para concorrer a prêmios do trimestre. Esse é o seu papel, juntar as notinhas e doar.
Pelo lado das instituições, elas juntam e digitam as notinhas que receberam. A instituição que conseguir mais pontos, recebe um bom dinheiro do governo, podendo chegar até 25 mil.
No site vocês podem ver mais informações sobre o programa, inclusive quais as instituições que receberam dinheiro no último trimestre e quanto.

Doações

Tem coisa mais simples que doação? É só juntar aquelas coisinhas que não tem mais utilidade em casa, escolher uma instituição e doar. E vale qualquer coisa: brinquedos antigos, esmaltes que você não usa mais (mas que esteja em bom estado, é claro), roupa que você comprou porque estava em promoção e não usa, livros, eletrônicos (e tem entidades que aceitam até aqueles com defeito). Enfim, vale tudo.
Só não vale achar que doação é dar para uma entidade aquilo que iria direto pro lixo. As coisas tem que estar minimamente decentes né?

Petições

Hoje é muito comum recebermos links e vídeos para assinarmos uma petição X ou Y, em prol de algo. As vezes é realmente difícil saber o que é sério, o que pode realmente fazer alguma diferença ou não. O jeito nesses casos é dar uma pesquisada e ver se o que a petição está propondo é viável, e se está cadastrada no lugar certo.

A que está sendo mais compartilhada ultimamente é o da Movimento Gota D'Água, que vocês podem dar uma olhada e, se concordarem, assinar também.



E esses exemplos são aqueles mais básicos possíveis. Se você tiver alguns minutos a mais por dia, tente encontrar algo de voluntariado, use suas habilidades manuais para fazer enfeites e roupinhas para doar, se informe, procure. Ajudar não é difícil. E daí sim você estará fazendo a sua parte.

Um comentário:

  1. O Clique Alimentos é uma iniciativa incrível. Parece pouco, mas se todos ajudarem dá sim pra fazer do mundo um lugar melhor. E sim, eu estou fazendo minha parte.

    ResponderExcluir