segunda-feira, julho 25, 2016

Marcadores da Semana #178: Eu amo ler (Belas Letras)

. .


Todo leitor que se preze tem um certo orgulho de mostrar o seu amor pela leitura, não é? E a editora Belas Letras tem uma coleção linda de marcadores que expressam esse amor de uma forma muito legal. São frases e desenhos bonitinhos sobre os nossos amados livros e sobre esse hábito viciante que é ler. Não tenho ideia de quantos marcadores são no total, mas até o momento consegui estes nove acima. 

Gosto muito do "eu leio porque faz bem" porque é muito verdade! E qual combina mais com vocês? :)

segunda-feira, julho 18, 2016

Marcadores da Semana #177: Harry Potter and the Cursed Child

. .


Desde que voltei de viagem estava ansiosa para mostrar este marcador lindo por aqui! Fui bem feliz ver se a livraria que paramos tinha marcadores e o moço do caixa me entregou um desses. Não resisti e pedi mais um, que ele me entregou com uma cara de "aff" (faz parte né?). Uma pena que não estavam expostos, porque vi que ele tinha bem mais guardados! Maaaas ao encontrar uma coisas dessas também não dá para reclamar muito, já fiquei mega feliz de ter conseguido dois :)

O marcador representa o "8º livro" da série, que vai ser lançado no dia 31/07 por lá. Ele é o script da peça escrita por J.K., que já está nos teatros de Londres, e é a continuação da história iniciada no último capítulo do sétimo livro, dezenove anos após a grande batalha final. Aqui a editora Rocco já falou que vai lançar, mas até onde eu saiba ainda não foi divulgada data. Vamos torcer para que venha logo e que a história tenha ficado tão boa quanto a dos livros anteriores! :)

sábado, julho 16, 2016

Resenha: A idade dos milagres

. .


Sinopse: E se os dias ficassem cada vez mais longos - primeiro em questão de minutos, depois horas, até que o dia virasse noite e a noite virasse dia? É isso que acontece no arrebatador livro de estreia de Karen Thompson Walker, um romance sobre crescer e seguir com a vida em uma época extraordinária e incerta. Em um sábado aparentemente comum, na Califórnia, Júlia e sua família acordam e descobrem, com o resto do mundo, que a velocidade de rotação da Terra está diminuindo. Os dias e as noites vão ficando mais longos, fazendo com que a gravidade seja afetada e o meio ambiente entre em colapso. Pássaros desorientados caem mortos do céu, centenas de baleias encalham na praia, as marés saem de controle. Enquanto alguns entram em pânico, outros procuram viver como se nada estivesse acontecendo, agarrando-se a qualquer custo à sua rotina e ignorando a evidência de que o fim do mundo se aproxima. Ao mesmo tempo que luta para se adaptar à nova "normalidade", Júlia tem que lidar com os problemas típicos da adolescência e os desastres do cotidiano: a crise no casamento de seus pais, a perda de antigos amigos, as amarguras do primeiro amor e o estranho comportamento de seu avô, que acredita que tudo se trata de uma conspiração do governo e passa os dias catalogando suas posses obsessivamente. 

A idade dos milagres é o livro de estreia da autora Karen Thompson Walker. 

A história é contada do ponto de vista de Julia, nossa personagem principal. Ela narra suas memórias de quando tinha onze, doze anos, época em que começou o que foi chamado de desaceleração da Terra. Os dias começaram a se tornar mais longos, tendo períodos de sol e de escuridão cada vez maiores, sem que as pessoas conseguissem entender realmente o porquê.

O livro tem uma história e um enredo maravilhosos e, para mim, inéditos. Porém a forma lenta como a autora passou a narrativa, o excesso de detalhes e a repetição de uma série de frases e pensamentos transformaram uma história que poderia facilmente se encaixar em uma das melhores que havia lido para algo um tanto cansativo
"Talvez tivesse começado antes da desaceleração, mas só depois fui me dar conta: minhas amizades estavam se desintegrando. Tudo estava desmoronando. Foi uma jornada difícil aquela, da infância para uma próxima vida. E, como em qualquer outra dura jornada, nem tudo sobreviveu." (pág. 74)
O desenvolvimento da autora sobre a desaceleração da Terra e suas consequências físicas e psicológicas nas pessoas foi excelente. Não sei o quanto disso poderia ser verdade, mas o caminho dos personagens e ações tomadas me convenceu de que seria algo bem possível caso um fato destes realmente acontecesse. Inclusive, o motivo causador do evento nunca é conhecido porém não faz falta.

Contudo, o livro peca em passar toda essa informação apenas através da visão de uma menina que inicia suas memórias no final do ensino fundamental. E por muitas vezes ela narra as mesmas coisas: os efeitos do tempo, a situação das pessoas, a reclamação de como sobreviver. Quanto mais a desaceleração prossegue, mais parece que o livro vai desacelerando junto na história. São poucos os fatos realmente importantes que ocorrem em relação ao mundo. Na maior parte do tempo acompanhamos o crescimento de Julia e sua passagem para a adolescência sendo marcada por um mundo com o futuro completamente indefinido, porém com os problemas comuns da idade, como a paixão por um menino com o qual mal fala, ou o fato de passar a ser esnobada por uma amiga de infância.  

Entendo que a autora quisesse passar essa comparação de uma vida "normal" sendo afetada por uma mudança destas e o quanto isso realmente impacta ou não em situações cotidianas de uma criança. Porém me deixou um tanto chateada que uma história com esse maravilhoso pano de fundo e infinitas possibilidades de construções ficasse apenas em algo tão simples.
"Uma coisa que me impressiona, quando me lembro desse período, é como nos adaptamos rapidamente. O que tinha sido familiar algum dia tornava-se cada vez menos. E, com o tempo, pareceu-nos extraordinário que antes nosso sol funcionasse tão previsivelmente quanto um relógio." (pág. 82)
É um livro que recomendo pela sua estrutura, pela história que é passada. No geral gostei do livro, e acredito que tenha ficado mais indignada pela falta de aproveitamento do potencial e dinamismo que a narrativa poderia ter. Quem gosta de histórias mais detalhistas, introspectivas (sem esquecer que é um livro jovem) e com um bom pano de fundo pode acabar achando um livro muito bom.
3/5 - Bom
Mais informações:
A idade dos milagres
Título original: The age of miracles
Autora: Karen Thompson Walker
Editora: Paralela (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 216
Links: Skoob | Goodreads

segunda-feira, julho 11, 2016

Marcadores da Semana #176: O pequeno príncipe

. .


A Livraria Cultura costuma fazer alguns marcadores bem legais (tenho uma coleção só de marcadores da livraria), mas dessa vez se puxaram. Esta coleção de O pequeno príncipe, feita para divulgar um musical no teatro, ficou simplesmente linda! Os desenhos delicados e as frases escolhidas combinaram demais, me apaixonei. São três ao total (os três primeiros) e o último desta foto é a imagem do verso de todos. Acho que foram os mais bonitos lançados pela livraria até o momento, concordam?

quinta-feira, julho 07, 2016

Resenha: Bruxa da noite

. .



Sinopse: Com pais indiferentes, Iona Sheehan cresceu ansiando por carinho e aceitação. Com a avó materna, descobriu onde encontrar as duas coisas: numa terra de florestas exuberantes, lagos deslumbrantes e lendas centenárias – a Irlanda.
Mais precisamente no Condado de Mayo, onde o sangue e a magia de seus ancestrais atravessam gerações – e onde seu destino a espera. Iona chega à Irlanda sem nada além das orientações da avó, um otimismo sem fim e um talento inato para lidar com cavalos. Perto do encantador castelo onde ficará hospedada por uma semana, encontra a casa de seus primos Branna e Connor O’Dwyer, que a recebem de braços abertos em sua vida e em seu lar.
Quando arruma emprego nos estábulos locais, Iona conhece o dono do lugar, Boyle McGrath. Uma mistura de caubói, pirata e cavaleiro tribal, ele reúne três de suas maiores fantasias num único pacote.
Iona logo percebe que ali pode construir seu lar e ter a vida que sempre quis, mesmo que isso implique se apaixonar perdidamente pelo chefe. Mas as coisas não são tão perfeitas quanto parecem. Um antigo demônio que há muitos séculos ronda a família de Iona precisa ser derrotado.
Agora parentes e amigos vão brigar uns com os outros – e uns pelos outros – para manter viva a chama da esperança e do amor.

Bruxa da noite é o primeiro livro da trilogia Primos O'Dwyer, escrita por Nora Roberts.

Este foi o meu primeiro contato com um livro da mega-famosa escritora Nora Roberts e, apesar de toda a fama da autora, realmente não sabia muito o que esperar do seu estilo. Talvez a ansiedade por conhecer o que a fez tão famosa acabou por criar uma expectativa muito elevada em cima deste livro que, infelizmente, não correspondeu a todas as expectativas.

Começando pelos personagens, todos são adultos mas algumas vezes parecem adolescentes. Iona, a personagem principal, é daquelas que falam demais, tem a vida adulta indefinida, tem "defeitos" mas todos que a conhecem a adoram, o padrão que está na moda para esse tipo de personagem. Além disso se apaixona à primeira vista por um cara meio turrão ("uma mistura de caubói, pirata e cavaleiro tribal"), e isso acabou se tornando tão clichê para a idade dos personagens que cansou um pouco. Em alguns momentos Iona consegue sair do perfil de adolescente e se impor um pouco mais, porém foram poucos. 

Outro item que não me agradou foi o tempo gasto com romance em uma história que (eu acredito) deveria ser focada em magia e na aliança dos primos para combater Cabhan - ou vocês tem alguma impressão diferente ao ler a sinopse? Em boa parte do livro Iona vai sendo iniciada muito devagar nos feitiços e, de uma hora para outra, decidem que é agora ou nunca, tem que aprender tudo, fazer um plano e se juntarem para matar Cabhan. Durante todo o resto, o foco é no romance e na amizade entre os primos e amigos. Aliás, a parte tão esperada da luta deveria ter sido bem mais interessante do que foi. Uma cena corrida, com descrição rápida, um tanto confusa e que deixou aquela sensação de... acabou?

No lado positivo, a parte inicial do livro que narra o momento onde tudo começou (ano de 1263), ainda com a antepassada de Iona (Sorcha, a bruxa da noite) é bem interessante. A amizade apresentada entre os personagens também é bem construída, com a formação de novos vínculos, personalidades diferentes e resolução dos conflitos. E a escrita de Nora no geral é bem tranquila e simples. 
"- O amor não deveria ser difícil.
- Acho que você está errada. Acho que deveria ser a coisa mais difícil que há, porque aí não seria tão facilmente dado, tirado ou apenas perdido." (pág. 269)
Foi um livro que demorei para terminar e que não me cativou. Pode ser que ele seja um que sofra da síndrome do "primeiro livro", que muitas vezes acaba sendo mais enrolado por ter que criar todo o ambiente, apresentar os personagens e ainda deixar um gancho para os próximos. Quem já conhece e gosta da autora ou procura apenas um romance talvez tenha uma experiência melhor, mas para mim não passou de uma história regular.
2/5 - Regular
Mais informações:
Bruxa da noite
Título original: Dark witch
Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro (Site | Twitter | Facebook)
Páginas: 320
Links: Skoob | Goodreads
Série: Primos O'Dwyer
#1. Bruxa da noite
#2. Feitiço da sombra
#3. Magia do sangue